Entenda como apresentar o seu negócio de maneira sucinta e eficiente!

julho 18, 2019 in Blog, marketing

No mercado contemporâneo, a simples tarefa de apresentar a sua empresa para novos clientes em potencial pode ser extremamente desafiadora, dada a gama sem precedentes de opções de compra que os consumidores dispõem em seu cotidiano. 

Mais que garantir uma boa opção de compra, as pessoas querem ser compreendidas e se sentir representadas pelas marcas que prometem solucionar os seus problemas. 

Para que os negócios consigam atingir a essas demandas, o antropólogo e especialista em liderança Simon Sinek desenvolveu o conceito de Golden Circle, que descreve as características das marcas e dos empreendedores que são capazes de inspirar as pessoas e, assim, garantir mais destaque no mercado.  

A seguir, saiba mais sobre esse conceito, sua importância e descubra como aplicá-lo em sua empresa! 

O que é Golden Circle e qual a sua importância?

Em empresas tradicionais, a ideia geralmente é seguir os conceitos do círculo de fora para dentro, ou seja, definindo primeiro o seu produto ou serviço, depois como será feita a sua venda e, por fim, com quais objetivos. 

Para Simon Sinek, porém, os líderes que mais se destacam são aqueles que fazem justamente o inverso, fazendo de suas atividades um resultado daquilo que acreditam, visando compartilhar esses valores com seus clientes. 

Se antigamente o foco da comunicação das empresas era demonstrar suas qualidades e vantagens em relação aos concorrentes, hoje é fundamental compartilhar valores e identificar-se com quem compra, pois as pessoas não compram mais o que as marcas fazem, mas sim os porquês do que fazem! 

Como utilizar o Golden Circle em prol do meu negócio?

Para que você entenda melhor quais são as etapas sugeridas no Golden Circle para desenvolver a apresentação do seu negócio, vou descrever brevemente cada uma delas, destacando as suas principais peculiaridades e seguindo o caminho das fases indicadas por Simon Sinek. Confira:

Encontre um propósito

Antes de iniciar as suas atividades em qualquer segmento, primeiro você precisa ter um propósito bem definido e saber quais valores deseja representar!

É nessa fase que você definirá o porquê da sua existência e como os seus projetos, iniciativas e empreendimentos irão representar os seus valores.

Para mencionar uma marca de destaque, pense no slogan da Apple “Think Different”. Apenas com a expressão “Pense diferente”, eles são capazes de representar todos os seus propósitos, que inclui inovar e desafiar conceitos pré-estabelecidos. 

Descubra como atingi-lo 

Depois de definir os valores que você deseja carregar consigo, é hora de definir as práticas e atitudes que lhe permitirão atingir os seus objetivos em relação a eles.

Esse é o momento em que suas crenças vão integrar um plano de ação, em que serão definidas as estratégias que lhe posicionem como uma empresa inspiradora em relação ao que representa!

Voltando ao exemplo da Apple, após definir o propósito de pensar diferente, seu “como” é precisamente direcionado ao desenvolvimento de produtos fáceis de usar e com design altamente atraente.  

Estabeleça o que você vende ou faz

Por fim, com seus valores e meios estabelecidos, é hora de descrever as características dos produtos ou serviços que você pretende comercializar.

Após o conjunto de valores e meios que mais se enquadram ao comportamento do público, estabelecer soluções que se alinhem às suas necessidades se torna uma tarefa muito mais intuitiva e eficiente.

É como se, no caso da Apple, só depois dos valores de inovação e dos meios que visam facilitar e impressionar os usuários definidos que, de fato, os celulares, computadores e serviços de música foram desenvolvidos como soluções viáveis para o mercado!  

Para entender na prática

Para você visualizar como esse processo se encaixa à marca em questão, veja como a Apple se comunica atualmente: “Tudo o que fazemos, nós acreditamos em desafiar o status quo. Nós acreditamos em pensar de forma diferente. A forma que desafiamos o status quo é através de produtos bem projetados, fáceis de usar e de interface amigável. Acabamos fazendo excelentes computadores. Quer comprar um?”.

Viu como essa lógica simples pode ter um efeito poderoso para conquistar consumidores realmente fiéis e interessados na sua marca? No próximo item, descubra todas as vantagens desse tipo de comunicação.

Quais as vantagens dessa ferramenta?

Ao compreender a importância do Golden Circle, conforme descrevi no primeiro item, suas principais vantagens ficam claras frente aos desafios do mercado moderno. 

Destaco as principais delas:

  • Maior clareza na comunicação entre colaboradores, clientes e fornecedores;
  • Garantia de fidelidade entre o público que compartilha de seus valores;
  • Capacidade de encontrar colaboradores que compartilhem dos seus valores e que, assim, trabalhem com maior qualidade e motivação;
  • Maior valorização e reconhecimento da marca em seu segmento;
  • Melhor entendimento e capacidade de feedback junto ao público, seus desejos e necessidades;
  • Criação de uma rede de relacionamento entre a marca e seus consumidores, que também atuarão como representantes e defensores dela. 

Você já aplica alguns dos conceitos que mencionamos ao longo do artigo? Quer saber ainda mais sobre ferramentas como o Golden Circle para destacar a sua empresa? Então entre em contato com a Crowd para desenvolver sua apresentação e otimizar ainda mais a comunicação da sua empresa.

E não se esqueça de continuar acompanhando os artigos para não perder nenhuma novidade sobre marketing, tecnologia e negócios!

Como a criação de artigos aumenta a sua relevância online

julho 10, 2019 in Blog, Empreendedorismo, Freelancer, Home office, marketing

Hoje em dia, as plataformas digitais ampliaram os horizontes de conexões e possibilidades de negócios. Cada vez mais, empresas e profissionais de diversas áreas aprendem a utilizar os meios digitais a seu favor nesse campo tão competitivo.

Mas afinal, você sabe como gerar conteúdo e engajar as pessoas na sua área de atuação? Uma das maneiras mais eficazes para atingir seu público em potencial é com criação de artigos otimizados!

Você sabe como funciona? A seguir, descubra os conceitos e principais dicas de aplicação, saiba mais sobre SEO e algumas ferramentas para facilitar a sua utilização.

Qual a importância dos artigos otimizados e principais cuidados na sua aplicação? 

Para fidelizar aqueles que frequentam ou encontram sua página na internet, é essencial oferecer um conteúdo em troca de sua atenção. Artigos com assuntos relevantes e originais comprovadamente aumentam o tráfego do seu site. landing page ou redes sociais.

Se você tem um negócio online, a dica é não oferecer apenas um negócio ou serviço. Torne-se autoridade no assunto. Assim, a credibilidade aumenta e, consequentemente, o número de pessoas interessadas subirão.

Para isso, considere algumas dicas básicas:

  • Defina sua persona de marketing: qual é o perfil de pessoa que está inclinada naturalmente ao seu conteúdo?
  • Coloque-se no lugar desta pessoa: reflita sobre o que ela pode querer, o que é relevante para a sua vida e até mesmo as perguntas que a mesma lança no Google. O que ela busca, afinal?
  • Ofereça algo de novo: o conteúdo precisa ser original de alguma forma e não apenas mais um artigo no oceano infinito da web. Pode ser um ponto de vista, uma abordagem, enfim. É preciso somar!
  • Aposte no SEO: tão importante quanto a definição da persona, as técnicas SEO (Search Engine Optimization) ajudarão a rankear melhor o conteúdo na internet, possibilitando que ele alcance o público em potencial.

Essa lógica é o primeiro passo para quem deseja produzir conteúdo, mas é essencial considerar as principais técnicas SEO antes de começar a gerar os seus artigos, pois são elas que contribuem para destacar o seu site dentre os demais. Saiba mais sobre elas no próximo item. 

Como o SEO ajuda a impulsionar o conteúdo produzido?

Como estabelecemos anteriormente, o SEO é essencial para melhor ranquear o conteúdo online. Na prática, isso significa que, depois de escrever artigos relevantes, o segundo passo é garantir que as pessoas interessadas terão acesso a eles.

São muitas as opções de conteúdo na internet, o que muitas vezes pode dificultar essa missão. Por isso, é preciso considerar algumas dicas especiais para otimizar a presença do conteúdo na web:

  • Defina bem as suas palavras-chave: estas são as “iscas” virtuais que vão aparecer nas pesquisas do usuário. Ao estabelecer a persona, você já terá noção do que seu público procura na internet. A partir daí, incorporar palavras-chave relevantes para o mesmo é um passo primordial para um bom ranqueamento;
  • Crie bons títulos e subtítulos: a estrutura é fundamental para despertar o interesse de quem acompanha seu conteúdo! Quebrar os artigos com subtítulos H1, H2 e até H3 ajuda muito na missão de tornar a leitura mais instigante e distribuir melhor as suas palavras-chave dentro do texto; 
  • URL curta e clara: evite URLs complexas, longas e que preencham toda a barra do navegador do seu leitor. Opções mais curtas e claras são muito mais amigáveis.
  • Meta Description: tão importante quanto a palavra-chave é pensar em uma boa meta description, pois ela pode impulsionar melhor o conteúdo nesse mar de opções digitais. Use bem esses caracteres para apresentar palavras-chave, pontos atraentes do conteúdo e o quão relevante ele pode ser para a vida do leitor. 

Em todos os casos mencionados, cuide para não lançar promessas falsas!

Estas são algumas dicas que facilitam a vida do gerador de conteúdo online, mas você ainda precisará de outras ferramentas na hora de produzir e distribuir os seus artigos. 

Para facilitar todo esse processo, é muito comum e aconselhável a utilização de plugins para SEO, conforme descreveremos no próximo item. 

Quais as principais ferramentas utilizadas para a otimização de SEO? 

Entre as diversas opções disponíveis que são capazes de facilitar todos os pontos descritos no item anterior, alguns exemplos merecem ser mencionados para você explorar melhor:

  • SEMRush: ferramenta intuitiva e fácil de usar, que confere dicas orgânicas para melhorar o seu texto, propondo novas palavras-chave, aprimoramento de parágrafos e tamanho ideal de artigos com base em análise de dados;
  • SEO by Yoast: um dos plugins mais famosos para WordPress, o Yoast facilita a construção de melhores títulos, meta description e meta keywords, além de uma longa lista de ferramentas complementares para otimizar o texto em diferentes plataformas.
  • Google Keyword Planner: quem melhor do que o Google para conferir informações precisas sobre a relevância de assuntos e tráfego online? Essa ferramenta gratuita possibilita a escolha das palavras-chave certas para o seu objetivo, trazendo dados estimados sobre volume, número de clicks e o nível de dificuldade de fidelização. 

Unir as dicas mencionadas com a tecnologia desses e outros plugins é o caminho certo para obter excelentes resultados com o seu conteúdo online. Tudo começa, porém, na compreensão da importância que a geração de artigos de qualidade e que realmente despertem o interesse do público tem para o tráfego da sua página!

Está procurando ajuda para colocar essa estratégia em prática? A Crowd dispõe de diversos profissionais aptos a produzir o melhor conteúdo para o seu negócio! E para saber mais sobre esse e outros temas indispensáveis para a competitividade da sua empresa na web, continue acompanhando os artigos semanalmente. 

Ciclo de compras dos clientes: como ter sucesso em minhas campanhas online?

julho 5, 2019 in Blog, Empreendedorismo, marketing

 

Você sabia que aproximadamente 98% das empresas brasileiras não aproveitam o marketing digital de maneira plena? Os dados foram divulgados no portal E-commerce Brasil.

Grande parte das empresas buscam rápidos resultados e acabam ignorando etapas importantes que devem ser consideradas ao lidar com as ferramentas que buscam otimizar a performance do negócio nas plataformas digitais.

Esse é o caso do ciclo de compra do cliente! Você sabe da importância que ele tem na hora de tomar decisões sobre as análises dos resultados de uma campanha? Então, continue a leitura para entender! 

Como funciona o ciclo de compras?

O marketing digital está diretamente ligado à ideia de relacionamento, e isso quer dizer que toda a comunicação estabelecida entre uma organização e possíveis clientes deve ser mútua e natural – não mais unilateral como nos anúncios de antigamente! 

O processo de compra demanda um tempo que varia de acordo com o produto/serviço oferecido pela empresa. Ele pode ser rápido e durar semanas, ou ser mais lento e demandar meses. Entender o que e como ele é composto é necessário para que, na etapa final, os resultados sejam trabalhados da forma mais assertiva possível! Para isso, vamos entender quais são as etapas:

Descobrimento

A fase de descobrimento, ou consciência, é aquela em que os indivíduos sequer sabem que possuem o problema ou a necessidade específica que seu produto ou serviço pode sanar. 

Consideração

Na consideração, o consumidor já tem mais clareza sobre aquilo o que quer e também o desejo de realizar a compra, mas ainda está procurando saber mais sobre o assunto para não errar na hora de investir o seu dinheiro.

Conversão

É quando finalmente ocorre a compra após todo esse processo de relacionamento. 

Pós-venda

No pós-venda, a principal missão não é apenas fazer com que as pessoas voltem a comprar na sua loja, mas também provar que a escolha de comprar com você foi assertiva.

Por que o ciclo de compras é importante em campanhas de marketing digital?

Para investir em campanhas de marketing, é preciso ter paciência e, acima de tudo, compreender o seu ciclo de fechamento com clareza.

Clientes de cada segmento do mercado possuem um tempo próprio entre seu contato com determinada marca, seu desejo de adquirir um produto e a efetivação da compra.

Para adquirir um apartamento, por exemplo, os consumidores levam, em média, nove meses entre a fase de pesquisa e a compra de fato! 

Assim, se imaginarmos uma construtora que deseja investir em marketing digital, de nada adianta que os seus investimentos sejam feitos em apenas poucos meses. 

Pelo contrário: nesse caso, são necessários, no mínimo, nove meses inteiros para que os resultados dos primeiros meses comecem a ser convertidos em vendas e que uma análise sobre eles possa ser feita de maneira concreta. 

Já compras mais simples, como no caso de livros, que são feitos de maneira mais rápida e sem grande necessidade de pesquisa prévia, ações promocionais e até de curta duração — como cupons especiais de desconto — são mais eficientes que ações mais voltadas ao descobrimento e relacionamento, como campanhas de marketing de conteúdo.    

Não só a área em que a sua empresa atua deve ser considerada nesse sentido, mas também a própria plataforma de divulgação.No Instagram, por exemplo, ao postar um stories direcionado ao seu site de vendas, o alcance será muito maior do que em um post, por exemplo, mas essa eficácia é limitada a apenas um dia.

É fundamental conhecer o ciclo de compras dos seus consumidores justamente para mantê-lo alinhado a cada um desses aspectos, garantindo que os canais contratados, a frequência adotada e os padrões escolhidos para a sua comunicação sejam os mais efetivos possíveis.

Se você quer saber ainda mais sobre esse e outros assuntos indispensáveis para a competitividade da sua empresa na era digital, continue acompanhando as dicas que compartilho aqui todas as semanas! 

Os formatos de anúncio ideais para cada objetivo de campanha

junho 28, 2019 in Blog, Empreendedorismo, Freelancer, marketing

Campanhas digitais podem ser poderosas ferramentas para auxiliar o crescimento de um negócio. Se você procura gerar leads, aumentar vendas e mais visualizações para o seu conteúdo, é importante estar alinhado à estratégia mais eficaz para o seu caso.

É preciso não apenas pensar em quais objetivos e formatos de anúncio podem atrair mais tráfego para o seu site ou landing page, mas também em como auxiliar as vendas e gerar mais engajamento. 

Embora não existam grandes complicações, definir o formato de anúncio é algo que precisa ser pensado de maneira estratégica para extrair o máximo de possibilidades de conversão. A seguir, separei algumas informações para ajudar você nessa importante missão!

O que fazer antes de anunciar?

Antes de tudo, é preciso se perguntar: qual o melhor canal para o meu anúncio? Diferente de alguns anos atrás, temos hoje diversas possibilidades.

 É possível anunciar no Twitter, Facebook, Instagram, Google, Youtube e mais uma infinidade de plataformas, isso sem mencionar as mídias tradicionais. 

Para saber qual o veículo correto para o seu anúncio, primeiro é necessário definir um objetivo. Você deseja que a sua empresa cresça? Atraia mais clientes? Reforce a sua marca no mercado? 

Com essas questões em mente, é preciso descobrir o local de maior concentração desses clientes em potencial e quais as melhores maneiras de se comunicar com eles. 

Assim, chega a hora de descobrir o formato correto do anúncio, visando um engajamento mais eficiente, que seja capaz de gerar leads realmente qualificados!

Por que o formato de anúncio ideal deve ser o foco de qualquer campanha? 

De todas as ponderações mencionadas no item anterior, entre outras que devem ser feitas antes da divulgação de uma marca, não é exagero afirmar que o formato do anúncio é a mais importante delas.

Na verdade, o formato ou os formatos que serão utilizados ao longo da campanha são justamente definidos a partir dessas perguntas iniciais que representam os objetivos dos empreendedores! 

A lógica para compreender a relevância dessa questão é muito simples: atualmente, existem incontáveis modelos de publicidade, em que cada um deles atende ao perfil e às necessidades de um público ou de um padrão de comportamento específico. 

Quer saber como isso se aplica ao negócio?

Se você possui um bar ou restaurante, por exemplo, os formatos de anúncio do Google Maps ou do Waze são a melhor escolha para atrair novos clientes, pois instiga e facilita o traçamento de rotas para o mesmo estabelecimento.

No caso de uma empresa de softwares, esses meios não fariam sentido, pois o público impactado e o padrão de usabilidade do formato de anúncio em mapas não são alinhados com o produto que está sendo divulgado. Nesse caso, seria mais sensato investir em anúncios em banners de sites específicos do segmento através do Google ADS, ou ainda em soluções de marketing de conteúdo, por exemplo. 

Agora imagine uma empresa com uma grande equipe de vendedores, ou ainda com um time de vendas consultivo, que demanda de um contato mais próximo e direto com os clientes. Através de ferramentas como o Facebook Leads ou Youtube True View for Action, é possível gerar anúncios em que as pessoas fornecem dados como e-mail e telefone a cada clique, gerando um alto volume de leads. 

Um site institucional, mesmo sendo recomendado para qualquer empresa, também pode ser fundamental na definição do formato de anúncio. Se o objetivo da empresa for aumentar a exposição de sua marca ou de contatos, é possível investir em opções para aumentar o tráfego de visitas, como a otimização SEM (search engine marketing), por exemplo.  

Para você ter uma noção do quão importante é a escolha do formato, pense que um mesmo formato executado de maneiras diferentes pode ser capaz de atender a objetivos completamente distintos!

No caso dos vídeos, por exemplo: se uma empresa deseja fazer branding, um bom vídeo institucional é uma excelente escolha para impactar o público. Esse mesmo recurso, impulsionado em mídias como Youtube, Facebook, Instagram para aumentar a quantidade de visualizações.

Esses são apenas alguns exemplos dentre a infinidade de opções que podem ser escolhidas para divulgar uma empresa! Em qualquer situação, mantenha o foco nos seus objetivos, no perfil do seu negócio e no comportamento do seu público. Só assim você encontrará o formato ideal com clareza e atingirá os seus objetivos! 

Qual o melhor formato para a minha campanha?

Ao saber com clareza quais são os seus objetivos, a próxima questão é o formato para anunciar.

Cada campanha pede um formato diferente de anúncio (e as possibilidades são bem variadas). O problema é que muitas pessoas desconhecem essa realidade, mantendo-se presas apenas ao tradicional anúncio de texto na rede de pesquisas do Google (que também pode ser bem eficiente).

Antes de tudo, reflita: “é esse o melhor formato para o assunto, considerando o comportamento do usuário?”

Os seus objetivos precisam ser direcionados ao formato ideal. É possível promover uma marca impulsionando curtidas, por exemplo. Para isso, pode-se utilizar um vídeo no Youtube.

Outra estratégia é engajar o usuário em conteúdos relevantes, atraindo-o para o seu blog e reforçando um importante laço de fidelidade.

Há também a questão do dispositivo. Campanhas com foco em mobile tem menos espaço para trabalhar caracteres e elementos, afinal, o tamanho de tela é reduzido. Existe um espaço e um formato ideal para cada campanha e nenhum ponto pode ser ignorado.

E você, já havia ponderado todas as possibilidades desses canais de comunicação? Quer saber ainda mais sobre como garantir um planejamento de marketing eficiente para a sua empresa? Então continue acompanhando as minhas dicas e entre em contato com a Crowd para definir a melhor estratégia para o seu negócio!

UX e a Arquitetura da Informação

junho 24, 2019 in Blog, Empreendedorismo, Freelancer, Home office, Web Design

Assim como os conceitos de acessibilidade e usabilidade, a Arquitetura da Informação não nasceu no mundo digital. Por outro lado, sabe-se que é nele que a sua aplicação ganha mais força entre designers e desenvolvedores!

Plataformas e aplicativos que usamos todos os dias contam com a influência da Arquitetura da Informação, nos ajudando a entender o que nos rodeia e a nos levar ao encontro daquilo que procuramos. 

A forte influência na experiência dos usuários, por isso, a seguir, vamos entender, como ela funciona na prática.

O que é Arquitetura da Informação ou UX?

De forma direta, Arquitetura da Informação é a ação de organizar as diferentes partes de um sistema para que este seja compreensível ao usuário.

Quer um exemplo? Quando projetamos um website, entramos em um processo de decisões: quais os pontos principais, onde eles devem estar, como devem se conectar entre si, etc.

Esse é um estágio muito importante, pois nós, humanos, apenas entendemos as coisas quando há uma relação entre elas. É justamente esse o papel da Arquitetura da Informação.

No processo de design da experiência do usuário (UX), o projetista deve sempre considerar, principalmente, a forma como o produto entrega o seu principal valor: o conteúdo.

Por conta disso, alguns aspectos “invisíveis” aos usuários operam no subtexto das interfaces que ele utiliza. Esses aspectos estão presentes, justamente, no planejamento da Arquitetura da Informação.

Como a experiência do usuário (UX) se caracteriza?

Termo muito popular hoje em dia, a experiência do usuário (UX) é muito valorizada por pessoas e empresas que se interessam pela ideia de trabalhar com produtos e serviços digitais.

A UX determina as sensações que um usuário tem ao experimentar um produto, serviço ou sistema. Para isso, equilibra-se aspectos práticos, significativos, experienciais e valores de interação.

Considere o seguinte exemplo: quando você pede um Uber ou outro carro em um aplicativo de caronas remuneradas, basta fazer a sua escolha, apertar um botão e esperar o carro chegar, certo? 

Agora imagine todo o processo de arquitetura de informação por trás dessas funções, que ocorrem para garantir a comodidade dos consumidores!

Isso inclui desde um sistema que identifica o raio próximo de distância do seu dispositivo e notifica vários motoristas interessados, até a interface dos profissionais que podem aceitar a corrida e conferir o endereço dela.

A experiência positiva é fruto de um desenvolvimento que levou em conta todas as necessidades e preocupações do usuário, para que um sistema operacional eficiente seja capaz de saná-las de maneira sempre prática e intuitiva. 

É preciso considerar a experiência do usuário, antecipando todos os pontos relevantes do seu comportamento durante o processo de AI.

Qual a relação entre Arquitetura da Informação e UX?

Mas afinal, em que pontos a Arquitetura da Informação influencia a experiência do cliente? Destacamos algumas esferas principais para sempre estar atento:

  1. Estratégia: o que esperamos do produto, seja ele um website, aplicativo, plataforma, entre outros. O que os usuários desejam deles.
  2. Escopo: diz respeito aos requisitos e especificações de funções e qualidades que o produto deve possuir, assim como a melhor condução do projeto.
  3. Estrutura: a organização em si, compreendendo os pontos menos e mais importantes a serem encontrados pelo usuário e como encaixá-los nas capacidades do produto.
  4. Superfície: a interface final, que o usuário terá diante de si. É onde ele vai, de fato, interagir.
  5. Esqueleto: a organização dos elementos desenhados que constroem a interface e seus componentes. Aqui, é preciso levar em conta os componentes mais adequados para habilitar funcionalidades e exibir informações ao usuário.

Esses são alguns pontos que mostram como a UX está diretamente ligada ao planejamento da Arquitetura da Informação.

Para que você compreenda essa relação com ainda mais clareza, faça uma analogia com a construção de uma casa: enquanto um arquiteto faz a planta do projeto, pensando em todos os espaços e seus fluxos, um designer fica responsável pela visualização em 3D e aparências para os clientes, enquanto os engenheiros lidam com a construção.

No mundo digital, o arquiteto da informação planeja as funções, depois o designer cria a aparência e os layouts do projeto para que, por fim, os desenvolvedores possam construí-lo! 

Você já conhecia os detalhes e as diferenças entre UX e a arquitetura da informação? Quer conhecer ainda mais conceitos importantes como esse? Então continue acompanhando o nosso conteúdo! E não se esqueça de contar com a Crowd para o seu projeto de UX.

Entenda a importância do marketing pessoal!

junho 24, 2019 in Blog, Empreendedorismo, emprego, Freelancer, Home office, marketing

Não é novidade que, nos dias de hoje, as pessoas passam boa parte de seu tempo nas redes sociais.

Mais que um espaço para compartilhar ideias e momentos de lazer da vida pessoal, essas redes também podem ser uma importante ferramenta para quem deseja dar um salto em sua carreira ou traçar novos objetivos em sua vida! 

Isso é válido tanto para quem possui um negócio próprio, quanto para quem trabalha com vendas, deseja trocar de emprego ou até mesmo ser promovido.

Investir no seu marketing pessoal é indispensável para atingir esses objetivos. Seguindo estratégias e técnicas eficazes, você pode agregar diferenciais únicos no mercado de trabalho e obter resultados incríveis.

A seguir, entenda a real importância desse investimento e o que levar em consideração na hora de realizá-lo. 

Saiba mais sobre a importância de investir no marketing pessoal

Em poucas palavras, o marketing pessoal visa ajudar um profissional a apontar os seus diferenciais dentro do mercado competitivo e difundir melhor as suas melhores ideias.

Em nossa sociedade, encontramos inúmeros exemplos de pessoas reconhecidas pelos seus feitos, sejam elas artistas, cientistas, empresários ou outros profissionais de destaque. 

O que esses indivíduos têm em comum não é apenas o talento ou reconhecimento, mas principalmente a relevância de seus discursos na vida das pessoas.

Em qualquer área, o mais importante é que a sua voz seja ouvida! É nesse ponto que entra o investimento no marketing pessoal!

No próximo item, confira as principais estratégias para investir no seu marketing pessoal de maneira efetiva. 

Descubra os pontos mais importantes para levar em consideração na sua carreira

Agora que você entende a importância de um plano de marketing pessoal, confira os principais pontos que você precisa considerar nesse tipo de estratégia:

Tenha um objetivo claro

Existem muitos caminhos para se promover. Antes de considerá-los, porém, você precisa definir as suas metas e objetivos pessoais. Alguns questionamentos importantes são:

  1. Quem você gostaria de ser?
  2. Pelo que você gostaria de ser lembrado?
  3. Onde você pretende chegar na sua carreira?
  4. Você se contrataria se estivesse em outra posição?
  5. Em qual nível social você pretende chegar?
  6. Quais pessoas influentes você gostaria de conhecer e por que?

A partir dessas considerações, você pode começar a considerar os pontos chave de sua atual imagem pessoal e tudo aquilo o que você gostaria de alterar ou adaptar. 

É preciso ter em mente que as estratégias de marketing pessoal são diferentes para cada tipo de pessoa e, justamente por isso, são muito mais eficazes quando você entende o que pretende alcançar!

Aposte em uma boa presença online 

Redes como Facebook, LinkedIn, Instagram e Twitter podem ser ótimos veículos de marketing pessoal. Você pode inspirar as pessoas com seu conteúdo ao mesmo tempo em que cultiva o networking. 

Blogs e sites são outras famosas ferramentas de construção do marketing pessoal. Através dessas plataformas, você pode compartilhar conteúdos criados por você e mostrar seu trabalho ou forma de pensar.

Uma boa ideia pode ser divulgar seus endereços de e-mail profissional e portfólios. Assim, as pessoas podem contatar você de modo mais acessível e vão ter isso em mente sempre que acessarem seu conteúdo.

Tenha um bom perfil no Linkedin

Dentre todas as redes e canais de comunicação mencionadas no item anterior, o Linkedin talvez seja a mais importante para o perfil contemporâneo de profissionais, graças à possibilidade de conexão e descoberta que permite entre representantes de diferentes áreas.

Para garantir relevância na plataforma, é indispensável ter um perfil completo, disponibilizando todas as informações profissionais relevantes, além de estar conectado aos principais influenciadores da sua área. Apresentar-se como uma referência, através de uma boa apresentação e conteúdos que demonstrem o seu conhecimento na área de atuação também ajuda a transmitir credibilidade. Todo conteúdo produzido é válido: de vídeos amigáveis compartilhando dicas, até artigos técnicos com informações específicas.

Tenha em mente que a forma como você pensa pode ser colocada de um jeito que milhares ou milhões de pessoas possam ver. É isso que vai criar relevância para a sua imagem e fará com que você seja lembrado!

Não tenha medo de praticar o seu marketing pessoal no dia a dia!

A sua imagem pessoal é seu cartão de visitas. Isso quer dizer que as primeiras impressões que as pessoas têm de você contam muito! 

Se você pretende inspirar as pessoas e alcançar os seus objetivos, o melhor caminho possível para a sua carreira é ter foco em um plano de marketing pessoal personalizado.

Com isso em mente, invista na sua comunicação, postura, recursos e conteúdo. Dar o primeiro passo pode ser bastante desafiador, mas a prática ajuda a tornar o trabalho natural e garante confiança para quem o está fazendo. E vale lembrar: se precisa de ajuda, a Crowd auxilia a traçar a melhor estratégia e a executar o plano mais adequado para você!

Entenda como os Testes A/B aumentam os resultados no E-mail Marketing

junho 24, 2019 in Blog, Freelancer, marketing

Investir em E-mail Marketing ainda é uma maneira efetiva de fidelizar os seus clientes e até de conquistar novos públicos e oportunidades de negócio.

Ao contrário do que muitos pensam, o e-mail ainda é uma ferramenta amplamente utilizada por empresas, profissionais liberais e até internautas em geral, que garante um canal direto e muito próximo de comunicação entre os interlocutores.

Ao contrário das redes sociais, por exemplo, que têm seu alcance sujeito a ação de algoritmos, o E-mail Marketing permite que você seja proprietário de sua própria lista de contatos e assegura que todos os destinatários receberão a mensagem criada! 

Para que essa mensagem seja realmente efetiva, porém, é preciso que o Call to Action de cada e-mail seja interessante e atrativo, para que os leitores, de fato, abram o que foi enviado.

A seguir, vou mostrar como os Testes A/B são capazes de superar esse desafio, oferecendo a possibilidade de analisar a performance de diferentes tipos de conteúdo em relação a determinados perfis de leitores. Confira!

O que é Teste A/B é qual o seu principal objetivo?

Em poucas palavras, um Teste A/B caracteriza-se pela criação de duas ou mais versões de uma mesma campanha de marketing, que deve ser enviada para diferentes amostras de contatos a fim de analisar quais são capazes de obter os melhores resultados. 

Essa é uma maneira altamente eficiente e até prática de testar quais são as características mais persuasivas de seus e-mails, uma vez que as principais ferramentas automatizadas de E-mail Marketing já oferecem recursos que comparam e avaliam o desempenho entre as versões criadas! 

Sem a aplicação do Teste A/B, é praticamente impossível saber com precisão quais são as características de sua publicidade que realmente geram engajamento junto ao público, o que faz com que a criação de novas peças leve muito mais tempo e exija muito mais recursos para obter resultados precisos.

O grande objetivo de qualquer esforço de marketing ou publicidade é aumentar o número de conversões ou a taxa de fidelização de público, por isso o teste destina-se especificamente a apontar quais estruturas precisam ser alteradas em seu e-mail para que ele seja capaz de atingir essas finalidades com maior excelência. 

Como a análise é feita quais resultados são mensurados?

Conforme mencionei anteriormente, as principais ferramentas de automatização de E-mail Marketing oferecem excelentes meios para a realização de Testes A/B, mas é preciso ter em mente quais fatores são prioritários em sua estratégia para que eles sejam realmente eficientes!

Sendo assim, antes de mais nada, defina qual é o critério de maior relevância para o e-mail testado, que pode incluir a sua taxa de abertura, taxa de cliques, os links mais clicados ou até a quantidade de conversões obtidas de fato. 

Lembre-se que esse tipo de prioridade é muito característica de cada empresa e pode variar conforme a sua estratégia de marketing, uma vez que os testes podem também visar fatores secundários, como as taxas de descadastro, por exemplo. 

Definidos esses fatores, é definida uma amostra e criada diferentes versões para um E-mail Marketing, em que apenas detalhes relevantes são alterados, como o assunto da mensagem, por exemplo.

Feito isso, é definido um período de análise, em que o próprio sistema de marketing determinará qual versão enviada foi a mais efetiva dentro da amostra para, posteriormente, disparar a mensagem vencedora entre todos os contatos.  

Os resultados mensurados nesse processo são baseados justamente nas prioridades definidas inicialmente, para que seja o comportamento do público analisado que guie a mensagem mais alinhada às ações pretendidas com esforços de marketing. 

Basicamente, funciona assim: a ferramenta dispara 100 e-mails. Entre eles, 50 destinatários receberão mensagem A, enquanto os outros 50 receberão mensagem B. Após uma análise de performance, que seguirá o critério definido, o software entende qual teve o melhor desempenho com o público e envia a mensagem “vencedora” para o restante da lista! 

Quais as principais vantagens dos Testes A/B?

Após compreender o que é um Teste A/B, quais são os seus objetivos e qual é o seu método de aplicação, suas vantagens ficam muito claras em relação a uma estratégia de E-mail Marketing! 

Em resumo, ao analisar diferentes perfis de mensagens e determinar quais são as mais eficientes para persuadir o público-alvo, os Testes A/B garantem:

  • Maior retorno financeiro, uma vez que a taxa de conversão será maior com mensagens mais eficientes;
  • Economia de tempo em relação ao planejamento de estratégias, que serão apoiadas em dados precisos do comportamento do público;
  • Otimização dos esforços de marketing, que poderão ser embasados conforme as preferências específicas dos leitores;
  • Maior conhecimento a respeito do público-alvo e seu comportamento;
  • Melhor fidelização dos clientes.

E você, já conhecia a importância dos Testes A/B? Quer saber ainda mais sobre E-mail Marketing e outras estratégias indispensáveis para as empresas contemporâneas? Então continue acompanhando o meu conteúdo.

Como a Landing Page pode ajudar a gerar leads em campanhas

junho 17, 2019 in Blog, Empreendedorismo, Freelancer, Home office, marketing

Converter visitas em engajamento é o objetivo de toda empresa que vê no marketing digital uma possibilidade de crescimento. Com uma concorrência cada vez maior, a melhor maneira de conquistar o destaque almejado é através de boas Landing Pages.

Landing Page, em linhas gerais, é uma página que possui os elementos necessários para converter visitantes em leads. O termo “página de aterrissagem caracteriza bem o seu funcionamento, pois é justamente onde o visitante “aterriza”, pronto para entender melhor o seu negócio.

Por normalmente possuir altas taxas de conversão, as Landing Pages são amplamente utilizadas em campanhas de marketing. Por isso, uma boa Landing Page é a estratégia ideal para campanhas que querem gerar leads.

Como funciona uma Landing Page?

Considere toda a experiência do usuário. Se ele busca por um determinado assunto no Google e acaba encontrando o seu blog, por exemplo, essa é a sua página de “aterrissagem”, pois foi ali onde ele encontrou suas respostas quando pesquisou o assunto no buscador.

Quando o contexto é o marketing digital, outro ponto deve ser levado em consideração: as conversões! Nesse cenário, o uso de Landing Pages é diretamente associado a esse principal objetivo.

No próximo item, entenda melhor sua importância e qual é a estrutura ideal para quem deseja gerar o melhor fluxo de conversão em campanhas digitais através desse tipo de página.

Qual a importância de uma boa Landing Page?

Muitas empresas já são bem-sucedidas na missão de levar os cliques de suas campanhas publicitárias para uma página de um site.

Muitas vezes, porém, dependendo da forma como esse conteúdo é estruturado, o visitante pode se distrair e acabar lendo outras coisas na página, fazendo com que seus dados de contato não sejam captados nesse processo, impossibilitando a ideia de conversão e engajamento.

O objetivo de uma Landing Page é, justamente, capturar informações do visitante. Esse é o estágio mais importante do processo, pois é aí que você pode transformar a sua visita em um lead.

Por isso, uma boa estratégia de marketing precisa trazer uma Landing Page específica para cada etapa do funil, conforme abordaremos no próximo item.

Quais são os principais tipos de Landing Pages?

De forma geral, podemos segmentar as Landing Pages em 3 categorias principais, de acordo com o funil do marketing digital:

  • Topo de funil: essas páginas costumam conter uma isca, ou seja, um conteúdo relevante capaz de “fisgar” a atenção do visitante. Em troca do conteúdo oferecido, porém, ele precisa deixar os seus contatos. Essa fase envolve campos de preenchimento menores, geralmente pedindo apenas nome e e-mail;
  • Meio do funil: uma vez estabelecido o primeiro contato, agora o objetivo é oferecer um conteúdo relevante e que aprofunde o primeiro assunto. Aqui são solicitadas mais informações do visitante em troca do conteúdo, como nome, telefone, e-mail, site da empresa, entre outros;
  • Fundo do funil: essa é a última fase, onde o seu lead chega no estágio de solicitação de uma demonstração ou proposta. Todas as informações necessárias para o processo devem ser solicitadas neste momento.

Quais as diferenças entre Landing Page e Homepage?

Diversas empresas que realizam campanhas online costumam direcionar os visitantes para a Homepage do seu site. Embora comum, essa prática não é ideal para gerar leads.

Para converter, primeiro é preciso estabelecer um relacionamento de qualidade com potenciais clientes. Através do trajeto anteriormente demonstrado, eles precisam avançar, passo a passo, nessa jornada de compra.

Para entender melhor a questão, é importante colocar-se na posição desse possível cliente. Uma vez que ele faz uma busca (no Google, Facebook, etc), o usuário espera encontrar exatamente o que procura.

Nesse processo, pode ser que ele chegue até a Homepage do seu negócio. O problema, porém, é que muitas vezes ela não vai suprir todas as suas necessidades.

Imagine que o seu cliente procura um serviço de seguros para o seu carro, por exemplo. Ao efetuar a pesquisa, ele cai diretamente na Homepage de uma seguradora, repleta de informações sobre o negócio e todas as diferentes modalidades de seguro ofertadas.

Será que esse usuário encontrou o que procurava? Pelo contrário: provavelmente se sentiu ainda mais perdido em um mar de informações irrelevantes. Nesse modelo, as chances de conversão são mínimas, ainda mais considerando que os concorrentes já utilizam Landing Pages para suprir a essa demanda.

Nesse exemplo da seguradora, o ideal seria dedicar uma Landing Page para cada tipo de seguro oferecido! Esse simples recurso é capaz de otimizar o processo apresentado acima, direcionando o cliente em potencial no sentido exato daquilo que melhor vai atender a sua pergunta inicial.

Quais são os itens mais importantes para uma boa Landing Page?

Agora que você já conhece a importância e os benefícios de uma boa Landing Page, confira alguns itens importantes para que ela seja capaz de gerar leads para as suas campanhas:

  • Trust logos: marcas conhecidas geram credibilidade para uma empresa. Uma boa alternativa é apostar nelas;
  • No Exit Links: evite a utilização de “links de saída”. O objetivo não é distrair ou dar opções para o usuário sair da página – é preciso seguir adiante;
  • Proposta de valor: para converter, é preciso destacar o valor da sua empresa. Por que o lead deve comprar da sua empresa e não de um concorrente?
  • Formulário bem desenvolvido: não apenas o conteúdo deve seguir as premissas de cada etapa do funil, como aparecer no lugar certo para captar o lead;
  • High contrast & action oriented CTA button: o botão de chamada para ação deve ser bem visível e posicionado. O usuário deve achá-lo instintivamente e não perder tempo o procurando.
  • Qualidade do texto: os diferenciais do produto ou serviço devem ser apresentados de forma sempre clara e sucinta;
  • Depoimentos de clientes: geração de credibilidade para validar o produto ou serviço junto ao público.

É fácil concluir que uma boa Landing Page traz os recursos necessários para atrair clientes em potencial, proporcionando mais engajamento para as empresas.

Essas páginas são as ferramentas ideais para as campanhas publicitárias, pois criam interesse pelo o seu negócio, fidelizam o público e permitem uma alta capacidade de mensuração.

 Ao seguir a estrutura básica e todas as dicas abordadas ao longo do artigo, você terá o caminho certo para construir a Landing Page ideal para o seu negócio!

Gostou das dicas? Quer saber ainda mais sobre Landing Pages e outros temas interessantes como esse? Então não perca os próximos artigos. E lembre-se: conte com a Crowd para definir a melhor Landing Page para o seu negócio!

Remarketing: o que é e quais os seus principais benefícios?

junho 5, 2019 in Blog, Empreendedorismo, Freelancer, marketing

O marketing digital compreende uma série de ferramentas e estratégias que são indispensáveis para a competitividade das empresas nos dias atuais, mas seu impacto junto ao público nem sempre se transforma em conversões de vendas em um primeiro momento.

Para reforçar as estratégias de divulgação adotadas pelas empresas e garantir que determinada campanha terá impacto sob um consumidor no momento em que ele estiver preparado para exercer o seu comportamento de compra, foi estabelecido o conceito de remarketing!

A seguir, vou abordar melhor o que significa esse conceito, quais são os seus principais benefícios e como ele impacta o seu dia a dia.  

O que é remarketing?

O remarketing compreende aquela série de anúncios que permanece lhe “seguindo” após você demonstrar interesse em determinada categoria de produtos ou serviços, seja nas redes sociais, em blogs ou sites em geral.

Em poucas palavras, o conceito se refere ao ato de fazer marketing mais de uma vez para as mesmas pessoas, gerando um impacto ainda maior sob os indivíduos que já estão inclinados a realizar certa conta.  

Existem duas maneiras de fazer remarketing e conseguir aumentar suas vendas: uma delas é instalando um código, que varia de acordo com a plataforma utilizada, seja site, rede social ou Google.

Outra maneira é subir mailing de e-mails e telefones, que será cruzada com usuários criados pelos internautas nas redes sociais e seus interesses para que o disparo das mensagens seja efetuado.

Nas duas situações, o intuito é ativar novamente os clientes que já estão presentes em sua base através de campanhas personalizadas de e-mail, que realimentam o interesse do consumidor e o incentiva a tomar alguma ação.

Entre as mensagens mais comuns que podem incentivar uma ação, é possível relembrar um carrinho de compras cheio que ainda não foi finalizado, informar sobre alguma novidade em determinada categoria de produtos, oferecer uma promoção em itens do interesse do indivíduo, entre outras situações relacionadas.

Quais os principais benefícios dessa técnica?

Assim como qualquer estratégia de marketing, o remarketing tem como principal objetivo o aumento de conversões.

O principal argumento para a sua utilização é simples: a maioria esmagadora dos consumidores nunca realiza suas compras já na primeira pesquisa na internet.

Para se ter uma noção da relevância desse tipo de técnica, de acordo com dados coletados pelo Google Adwords, apenas 3% dos visitantes de uma loja virtual realizam uma compra na primeira visita.

Desses indivíduos, 51% afirmam apreciar e-mails personalizados, 58% gostam de ser avisados sobre promoções em seus produtos de interesse e, 41%, de e-mails sobre abandono de carrinho de compras.

Nesse cenário, o remarketing atua não apenas como um lembrete sobre os produtos e serviços que os internautas pesquisaram na internet, mas principalmente como um ponto de contato muito mais íntimo e personalizado de acordo com as características de cada indivíduo!

Ao continuar ponderando sobre a compra e recebendo ofertas alinhadas aos seus interesses, a pessoa se sentirá mais convencida com o passar do tempo sobre o investimento e optará justamente pela empresa que estiver mantendo contato com ela.

Com esses dados em mente, fica claro como o remarketing é relevante e traz retornos significativos para as estratégias online!

Como o remarketing está presente em nosso dia a dia?

Quando pensamos mais profundamente sobre o nosso dia a dia na internet, fica fácil perceber como o remarketing é presente em nosso cotidiano e influencia o nosso comportamento.

Imagine a seguinte situação e se pergunte se você nunca viveu ela: imagine que você pesquisou por certos modelos de smartphones no Google ou em um e-commerce específico.

Após conferir as principais características do aparelho e seu preço, você decide fechar o site para pensar melhor sobre a sua compra.

Em seguida, você abre o seu portal de notícias favorito e de repente os produtos que você pesquisou estão expostos em um banner especial do Google.

Na hora de visitar o seu Facebook, lá estão os smartphones novamente!

Alguns dias após a pesquisa, a loja envia um e-mail perguntando se você ainda tem interesse em determinado aparelho e oferece um desconto especial.

Fica difícil de resistir à compra dessa maneira, não é mesmo? É justamente por isso que o remarketing é tão eficiente!

E você, já pensou em adotar esse tipo de estratégia em sua empresa? Quer saber ainda mais sobre marketing digital e outros assuntos indispensáveis no mercado contemporâneo? Então continue acompanhando o meu conteúdo semanal.  

Uma ideia não vale nada sem uma boa execução e muita resiliência

abril 15, 2019 in Blog, Empreendedorismo, Freelancer, marketing

Uma ideia é o começo de uma jornada, mas são as ações tomadas a partir dela que determinam o seu sucesso!

A seguir, vou discorrer mais sobre o assunto, pontuando sobre como o contexto e as ações dos empreendedores são fundamentais para que uma boa ideia realmente tenha valor.

Considere as suas limitações e o seu contexto antes de executar uma ideia

Toda ideia, boa ou ruim, precisa ser colocada no papel, planejada e depois posta em ação para provar o seu valor. Você quer um exemplo?

A Uber existe há mais de 10 anos e, quando começou, não era a grande startup que é hoje. Quando fundado, o aplicativo servia apenas para oferecer caronas no caminho do trabalho ou da faculdade para as pessoas que iam na mesma direção.

Depois transformou-se em um aplicativo premium para chamar carros blacks, no qual você poderia ter a experiência do motorista abrir a porta para você, utilizar carros mais chiques, servir água, disponibilizar balas, etc.

Talvez, no começo, os fundadores da Uber imaginassem chegar onde chegaram, mas o que realmente fez a diferença na trajetória foi a visão de sanar uma necessidade pontual, dentro da realidade e das possibilidades oferecidas em seu meio.

Quando você encontra uma ideia e acredita no seu sucesso, não basta apenas colocá-la no papel e executá-la, é necessário também analisar o contexto e planejar os próximos passos.

Tenha convicção daquilo que você pretende fazer, mas também esteja sempre pronto para agir e seguir diferentes caminhos conforme as demandas exigidas e oportunidades oferecidas pelo meio.

Mantenha a sua convicção, mas saiba quando adaptar seus planos

Dizem que, quando temos uma ideia e começamos a colocá-la em ação, sentimos uma grande motivação, principalmente quando as coisas começam dando certo.

Porém, é no momento que surgem as adversidades e a falta de motivação que precisamos de determinação para lembrar do valor de nossa ideia e o porquê de acreditarmos nela desde o princípio.

Quando apostamos em algo, precisamos entender que o conceito certamente passará por mudanças e que é necessário resiliência para aceitar as novas convicções – e, principalmente, contar com a ajuda de outras pessoas para alcançar o sucesso desejado.

O Spotify já tem mais de 10 anos de mercado. Como conseguiu atingir essa marca?

No início, era apenas uma plataforma P2P que permitia o download de músicas de outros usuários online.

Se hoje a startup virou uma das maiores redes de streaming do mundo, é porque seus planos e ações se adaptaram ao longo do tempo, compreendendo os novos anseios dos consumidores e as novas possibilidades que a tecnologia poderia agregar ao funcionamento do negócio.  

E o Airbnb, conhecem a história?

A empresa surgiu da necessidade de três amigos que precisavam pagar o aluguel do apartamento que moravam e não tinham dinheiro. Aproveitaram que na cidade teria uma conferência e os hotéis estavam lotados para disponibilizar espaços dentro do próprio apartamento para locação. Naquela mesma noite desenvolveram a primeira versão do site.

Streaming? Netflix?

Completando seus 20 anos em 2019, a Netflix surge em 1999 com um serviço de assinatura mensal que oferecia locação ilimitada de DVD’s. Conforme o cliente devolvia os discos, a empresa enviava outros.

Quase dez anos depois, em 2007, a Netflix lança seu serviço de streaming. Em 2013 começa sua produção de conteúdo original, chegando em 2016 com 75 milhões de assinantes.

Não fique parado

Além de todos os exemplos mencionados no artigo, ainda é possível citar dezenas de negócios que começaram debaixo e hoje são referência em sua área, como o iFood, Gympass, Crowd, entre muitos outros.

Claro que nem toda boa ideia é capaz de atingir o patamar de inovação dessas grandes empresas, mas sua capacidade de reconhecer o contexto, determinar ações e adaptá-las conforme o meio as tornam excelentes exemplos de como o conhecimento, o embasamento e, principalmente, a determinação são capazes de nos guiar rumo ao sucesso!

Gostou de mais esse artigo? Tem algo a acrescentar em nossa discussão? Então deixe o seu comentário.

contact us