Como achar o freelancer certo para o seu projeto

novembro 14, 2018 in Blog, Empreendedorismo, emprego, Freelancer, Home office

Então você já leu os nossos posts anteriores e percebeu que contratar um freelancer como parceiro do seu projeto é uma ótima pedida, mas agora está em dúvida sobre como achar a pessoa certa.

Não tema, basta manter algumas coisas em mente e saber onde procurar para ter uma experiência legal e enriquecedora. Estamos aqui para ajudar.

Especialização e comprometimento

Se for a primeira vez que você está buscando por um freelancer, você pode se sentir tentado a dar uma grande importância ao fator preço. Cuidado. Embora esse seja um ponto que não podemos ignorar, ele pode acabar desviando o seu foco do que realmente importa.

A sua prioridade deve ser encontrar um profissional especializado e alinhado com o seu projeto. Caso seja uma pessoa comprometida, atenciosa e que respeite prazos, melhor ainda. Isso vai poupar tempo e, sim, dinheiro ao final.

Um freelancer especializado significa segurança e menos estresse para você. O know-how que ele tem na área de interesse é exatamente aquilo que poderá agregar ainda mais valor ao seu projeto e também possibilitará que você aprenda e cresça.

Boas referências e experiência

Após encontrar algumas opções de freelancers com a especialização certa, é hora de checar as referências e as experiências de trabalhos anteriores. Veja o que clientes antigos falam sobre o trabalho desses profissionais  e se eles são pessoas responsáveis, que respeitam prazos e atentam para as diretrizes dadas.

Mas também fique de olha em outra coisa: não basta que o profissional tenha boas referências. Ele precisa ser experiente dentro da área em que você tem interesse. Para isso, é vital que você cheque se ele já fez trabalhos semelhantes ao que você está solicitando e quais foram os resultados. Afinal, o cara pode ser incrível em uma determinada área, mas não ter a menor noção daquilo que você está pedindo.

Adaptabilidade e relacionamento

Mas conhecimento e experiência não são tudo. Você também precisa se certificar que o profissional selecionado seja uma pessoa com quem você goste de trabalhar, que tenha paciência com você, compreenda a importância do seu projeto e esteja disposto a ouvir e a se adaptar às suas necessidades.

Já pensou que inferno contratar um freelancer excelente tecnicamente, mas que não suporta ouvir os seus comentários ou que se recusa a receber suas críticas e apontamentos? Não interessa quão bom ele seja, a coisa não vai avançar.

Lembre-se que o projeto é seu e que o freelancer está vindo para somar. Ele é alguém que deve contribuir com sua expertise e tornar a sua vida mais fácil. Claro que em uma boa relação de serviço todos devem ficar satisfeitos, mas nunca esqueça que você é o contratante. Você deve se sentir seguro e confiante. Caso algum freelancer não transmita essa sensação, não tenha medo de dizer “não” e seguir em frente. Tem muita gente boa no mercado e uma delas com certeza encaixa perfeitamente com você.

A terceirização e os avanços da tecnologia vieram para facilitar a sua jornada. Nunca antes foi tão prático e fácil construir uma equipe de profissionais que trabalhem para transformar a sua ideia em realidade. Mas você precisa estar atento e achar as pessoas certas. Que bom que existe a CROWD, não é?

Conheça o site e encontre o freelancer para o seu projeto certo hoje mesmo.

Infográfico: 4 grandes dificuldades de quem vive de freelas e como superá-las.

outubro 3, 2018 in Blog, Education, Freelancer, Home office

A vida de quem é freelancer possui grandes atrativos e tem tudo a ver com esses novos tempos. Afinal, quem toma esse caminho pode escolher quando e onde trabalhar, desfruta de mais liberdade e consegue criar um maior número de relações comerciais e parcerias.

Mas não vá achando que tudo são flores porque, para prosperar nesse meio, você precisa aprender a lidar com algumas dificuldades. São desafios enfrentados por todo freelancer e que determinam quem realmente irá se destacar e quem vai ficar penando por um longo tempo.

Sendo assim, para ajudar você a deslanchar o mais rápido possível na carreira, separamos algumas das principais dificuldades que todo profissional autônomo enfrenta e damos algumas dicas de como passar por elas.

Definir o que fazer

Tem um monte de gente que, ao optar pelo estilo de vida freelancer, vai logo correndo atrás de qualquer trabalho, sem se importar com a área de atuação. É quase como se a pessoa tivesse sido possuída pelo McGyver.

Não há nada que impeça você de atuar em mais de uma especialidade, mas se isso for exagerado, pode passar uma imagem ruim. Afinal, quem faz de tudo, acaba não sendo bom em nada.

Solução:

O melhor é  identificar aquelas áreas de atuação em que você realmente é fera e pode fazer um trabalho notável. Seus clientes ficarão satisfeitos e a sua reputação vai aumentar.

Definir quanto cobrar

Também não caia no erro de achar que, se cobrar bem baratinho, vai conseguir um monte de serviço. Sim, é verdade que tem muita gente por aí que se preocupa demais com preço, mas um bom profissional entende o valor do seu trabalho. E é esse tipo o que mais se destaca.

Pode ser tentador aceitar trabalhar por um pagamento menor, só para não perder o freela. Mas tenha em mente que isso gera um efeito bola de neve no qual os clientes passam a enxergar cada vez menos valor no que você faz. Cuidado, ok?

Solução:

O que você deve fazer é cobrar de acordo com a sua experiência e qualidade. Faça uma pesquisa de quanto um profissional do seu nível cobra, tanto como autônomo quanto em empresas, e depois calcule quanto é o preço da hora trabalhada. Ajuste tudo isso de acordo com o seu caso específico e pronto, você terá uma ideia de quanto cobrar por hora. Aí é só analisar cada serviço contratado e definir quantas horas você irá demorar para executá-lo.

Disciplina

Quando você atua em uma empresa, você sabe exatamente quando trabalhar e onde. Você tem menos distrações e conta com colegas e gestores direcionando a sua produção. Na vida de freelancer a coisa é diferente.

Como você tem maior liberdade, pode acabar sendo vítima da procrastinação. Aí lá se vão horas preciosas, desperdiçadas nas redes sociais ou em frente à TV.

Solução:  

O segredo para escapar dessa armadilha está na disciplina. Crie uma rotina de trabalho, com horas bem estabelecidas para produção e descanso. Determine um espaço para o seu serviço. Tire o pijama e coloque uma roupa que estimule o estado de espírito certo. Existem métodos bastante interessantes e eficientes para aumentar a sua produtividade, como o Pomodoro e o Smart. Procure um pouco mais sobre eles e teste até encontrar o que se encaixa melhor na sua rotina.

Encontrar clientes

Talvez a maior preocupação de quem pensa em começar a vida de freelancer seja a falta de clientes. Afinal, sem clientes, não há serviço. Sem serviço, não há pagamento.

Solução:

A dica aqui é manter uma boa relação com parceiros com quem você já trabalhou. Procure-os e explique sobre essa nova etapa da sua vida. Caso eles estejam abertos, ofereça os seus serviços e peça para indicarem.

Invista na criação de uma marca pessoal e use o poder da internet para divulga-la. Crie um site ou um perfil em redes sociais. Mostre o que você faz. Aos poucos você começará a alcançar um público maior e a ficar mais conhecido dentro da sua área.

Hoje também existem plataformas que unem pessoas querendo contratar freelancers a profissionais oferecendo serviços, como a CROWD. Elas são ótimas para encontrar clientes e aprimorar suas habilidades, apenas fique de olho naquelas que não valorizam de verdade o seu trabalho.

Procure também se destacar mostrando o seu profissionalismo. Monte o seu portfólio, formalize-se, invista no seu nome, mantenha seus contatos aquecidos. Agora que você é o dono do seu futuro profissional, deve ter uma responsabilidade ainda maior. Mas saiba que tudo isso vale a pena. Ser freelancer é maravilhoso.

Como encarar a falha em um projeto freelance?

setembro 25, 2018 in Blog, Freelancer, Home office

Cometer um deslize no trabalho nunca é fácil. Bate aquela sensação de culpa e logo começamos a duvidar da nossa capacidade. Isso acontece com todo mundo, mas afeta os freelancers de um modo ainda mais forte, já que a nossa maior liberdade também aumenta a responsabilidade.

É preciso tomar cuidado para não cair em uma espiral de estresse e autopunição que podem afetar a produtividade e até mesmo causar uma depressão. Por isso, se você está se cobrando demais devido a algo que deu errado nos seus últimos serviços, mantenha a calma. Respire fundo. Esse texto é pra você.

Eu não me resumo a essa falha

Em primeiro lugar, jamais esqueça que você não é o seu trabalho e muito menos algum erro que tenha cometido, por maior que ele seja. O seu trabalho pode ser parte importante da sua vida, mas você é feito de muito mais que isso e uma eventual falha nesse setor não resume a sua trajetória profissional e, muito menos, a pessoal.

Você é uma pessoa como todas as outras, sujeita a erros e escorregões. Na verdade, é por meio desses erros que você vai aprender de forma mais poderosa. Não existe um freelancer bem-sucedido por aí que já não tenha quebrado a cara muitas vezes antes.

 

Qual foi a minha real responsabilidade?

Analise as etapas do seu processo de trabalho e identifique o que gerou a falha. Há algo que você poderia ter feito para evitá-la? Se não há, é provável que sua causa seja externa, o que indica que você deve melhorar a sua comunicação ou suas parcerias. Por outro lado, se há algo que você poderia ter feito, então assuma a sua parcela de responsabilidade e siga em frente.

Talvez seja uma boa oportunidade para uma conversa com o cliente. Talvez você ache melhor não cobrar pelo serviço. Isso varia muito de profissional para profissional, mas aproveite para mostrar o seu comprometimento. A sinceridade costuma ser muito bem recompensada e são grandes as chances de que o cliente compreenda que você ainda está evoluindo no seu ofício.

 

O que posso aprender com isso?

E falando em evolução, chegamos na melhor parte da falha: o aprendizado. Afinal de contas, nenhum professor é tão bom quanto o erro. O gostinho azedo do erro nos faz lembrar onde escorregamos e serve de alerta para não bobearmos daquela forma novamente.

Após analisar a sua parcela de responsabilidade na falha e entender o que gerou o problema, pense em formas de aprimorar todo o seu processo de trabalho. O que você pode fazer para evitar maus resultados? Quais indícios você percebeu que ocorrem quando algo não está indo bem?

Com o tempo e experiência, você irá desenvolver uma sistemática de trabalho cada vez mais à prova de falhas. Nessa hora você alcançará outro nível na sua carreira, mas, para chegar lá, você terá que errar muitas e muitas vezes. E tudo bem… isso acontece com todos nós.

 

As falhas podem ser uma grande fonte de estresse e ansiedade, mas a melhor maneira de lidar com elas é tentando enxergá-las por outra ótica: como acontecimentos que cedo ou tarde ocorrerão, mas que trarão consigo uma oportunidade de melhoria.

E se você sentir que não está bem e que precisa conversar, saiba que não está sozinho. Visite o site oficial do Setembro Amarelo ou entre em contato. Falar é sempre a melhor solução.

A CROWD apoia essa causa.

Como trabalhar melhor em um home office

agosto 30, 2018 in Blog, Home office

Trabalhar em casa pode parecer um sonho pra muita gente. Só de pensar em não precisar encarar o trânsito, ficar perto da família, usar roupas confortáveis e produzir no conforto do lar já dá aquela animada, não é? Mas quem adotou o home office sabe que as coisas não são bem assim.

Sim, é verdade que há uma série de vantagens em se trabalhar de casa, mas você também precisará enfrentar obstáculos inusitados, que jamais passaram pela sua cabeça enquanto você estava em uma empresa. Afinal, para se dar bem em um home office, você precisa de mais do que um bom computador e uma internet rápida. Confira.

 

Conforto e comodidade… mas sem exageros

Não vamos negar que o trabalho em home office traz comodidades. Sentiu frio? Basta colocar um agasalho ou pegar uma coberta. Está com dor nas costas? Tente umas almofadas na cadeira. O ar condicionado incomoda? Desligue a hora que quiser.

Tudo isso está ao seu alcance e não há mal algum em aproveitar as facilidades domésticas para melhorar o seu nível de conforto. O problema aparece quando você resolve exagerar e perde totalmente o foco do serviço.

Por mais tentador que seja, evite trabalhar deitado na cama ou esparramado no sofá. Não fique de pijama o dia todo. Desligue a TV. Todas essas coisas não condizem com uma postura profissional e, ao ceder a elas, você manda uma mensagem ao seu subconsciente de que o trabalho que tem a fazer não é importante. E, sendo assim, você consegue imaginar o resultado final, não consegue?

 

Mantenha o que você precisa ao alcance

Então você está ali em seu home office, concentrado, trabalhando para um novo cliente, quando de repente sente uma baita sede. Você levanta, vai até a cozinha e serve a si mesmo um copo da água. Enquanto bebe, resolve ligar a TV só um minutinho para ver o que está passando. Muda alguns canais e… ei, é aquele filme que você adora.

Uma hora depois você ainda está com o copo de água na mão, assistindo o maldito filme e com o trabalho parado.

Pois é, isso é mais comum do que parece. Felizmente, há uma solução fácil: mantenha o que precisa ao alcance. Assim, você não precisará sair do seu ambiente de trabalho e não confundirá as horas que possui para produzir com as horas que tem para relaxar. Algumas coisas que deve considerar em manter por perto são:

  • Gaveteiro com material de escritório
  • Cadernos de anotação
  • Livros de consulta
  • Carregador de celular
  • Lista de contatos
  • Frigobar ou garrafas de água
  • Frutas ou outro tipo de lanche rápido
  • Lenços de papel
  • Remédios

Quanto melhor você puder separar o ambiente de trabalho do ambiente doméstico, melhor será para a sua produtividade. Tenha disciplina.

 

Organize-se

Ao trabalhar em casa você será o responsável por organizar a sua vida, o que é uma bênção e uma maldição.

Veja bem, você não terá ninguém conferindo se você está fazendo o seu dever, nenhum superior de olho nos seus horários, nenhum colega reparando na sua roupa ou naquela planta sobre a sua mesa que já precisava de água há uma semana atrás. Isso quer dizer que você é o responsável por tudo no seu dia, do material aos horários, da sua vestimenta até os probleminhas como queda de internet.

Olha só algumas coisas que você pode fazer para tornar a sua experiência mais ordenada:

  • Criar uma rotina
  • Usar uma agenda
  • Separar uns minutos para organização antes e após o dia de trabalho
  • Trabalhar sempre no mesmo horário
  • Usar roupas que estimulem a produção
  • Manter a mesa higienizada
  • Estabelecer períodos para cada atividade
  • Determinar um tempo limite para responder e-mails
  • Ter uma lista de contatos urgentes, como do provedor de internet
  • Fazer pausas para caminhar, relaxar ou pegar um pouco de sol

 

Pode parecer besteira, mas pequenas bagunças, quando acumuladas, possuem o poder de tomar uma grande quantidade de tempo e energia. Sendo assim, invista em organização desde o princípio.

 

Com o avanço da tecnologia, o home office se torna uma tendência mundial cada vez mais forte. Contudo, para que a experiência seja positiva, é preciso entender que, mais do que um computador potente, você precisa da atitude correta. Aí é só curtir a liberdade e o conforto que só o trabalho em casa pode trazer.

contact us