Saiba mais sobre as principais plataformas de e-commerce do mercado

fevereiro 5, 2019 in Blog, Empreendedorismo, emprego

 

Não é por acaso que 2019 promete grandes investimentos e novas apostas no setor de e-commerce no Brasil.

Segundo dados da pesquisa BigData Corp, a área registrou um aumento de 12,5% entre 2017 e 2018, o que comprova aquilo que muitos especialistas já previam: trata-se de um mercado que já atingiu maturidade no país e possui plenas condições de expandir-se ainda mais!

Para que você não fique para trás dessa tendência e saiba quais as melhores soluções contratar na hora de investir no seu e-commerce, destaquei as 6 principais plataformas de comércio eletrônico para os mais diversos segmentos de empresas:

Shopify

Responsável por mais de 75.000 e-commerces em todo o mundo, o Shopify é líder de mercado e também traz a ideia de simplificar o processo de criação de lojas virtuais. Por ser user friendly, é possível administrar a loja pelo app do celular.

Entre os seus principais benefícios, está a excelente qualidade em otimização SEO, suporte durante 24 horas e diversas opções de temas e templates, que otimizam o processo de criação. Porém, o Shopfy integra nativamente com o pagseguro, o que torna a taxa de cartão mais alta do que se fosse diretamente.

Quando escolhida, é bom verificar na plataforma como integrar Erps brasileiros para emissão de nota fiscal ou como integrar o estoque da loja física ao ecommerce.

WooCommerce

Quem conhece o WordPress sabe o quão versátil e eficiente ele pode ser para a criação de blogs e websites personalizados. Trata-se do maior sistema aberto de gestão de conteúdo do mundo!

O WooCommerce é uma ferramenta da plataforma, que permite transformar qualquer página em uma loja virtual sendo muito bom para SEO. Por possuir vários plugins, é excelente para customizar soluções de compras com integrações via gateways de pagamentos nacionais super fáceis.

Com o domínio de mais de 30% do mercado, trata-se de uma solução de uso extremamente simples e repleta de possibilidades, seja em campanhas de marketing, na geração de métricas, no cadastro de produtos ou ainda nas infinitas possibilidades de seus plug-ins, que incluem chat online e novas opções de pagamento.

É bom ressaltar que por ser uma plataforma muito utilizada, o wordpress precisa estar bem protegido e, que por ser uma adaptação de uma ferramenta de blog, o WooCommerce pode não ser tão user friendly.

Vtex

Falando em soluções nacionais, a Vtex também se destaca como um dos sistemas mais robustos do mercado, que possui foco total na experiência dos usuários e na interatividade com as principais soluções web.

Um dos seus principais destaques é o smart checkout, que permite compras rápidas com um simples clique! A plataforma possui um suporte grande para usuários no Brasil porém, a Vtex cobra um percentual em cima do GMV da sua loja para manter o site funcionando.

Além dessa função, muitos diferenciais contribuem diretamente para que os índices de conversões sejam gigantescos na plataforma, como é o caso da integração facilitada com marketplaces, o excelente padrão responsivo para o meio mobile, a possibilidade de gerenciar leads por diversos canais simultâneos, a integração com CRM e ERP, o CMS integrado, entre muitas outras funções.

Magento

Ao contrário das soluções apresentadas anteriormente, os objetivos da plataforma Magento não incluem facilitar a vida dos usuários leigos: é preciso ter conhecimentos em programação para utilizá-la bem!

Esse é um dos fatos que a tornam mais indicada para operações com maiores investimentos, mas sua flexibilidade possibilita a criação de comércios para empresas de qualquer porte. A plataforma é pouco intuitiva e os especialistas ainda são poucos no Brasil, tornando a mão de obra mais cara.

Com riqueza de funcionalidades, alto desempenho em SEO, integração com qualquer ferramenta de pagamento e muita flexibilidade para empresas que visam ampla expansão, ela é indicada principalmente para startups e negócios semelhantes. Ela possui uma série de ferramentas para controle de clientes, promoções, cupons de descontos, relatórios e níveis administrativos da loja.

Muitos a consideram a melhor solução em e-commerce da atualidade, mas dada a impossibilidade de sua utilização por iniciantes, é necessário que cada negócio entenda as suas necessidades e pretensões antes de investir em uma plataforma desse porte. Magento é considerada a maior plataforma gratuita do mundo e lançou recentemente a versão 2.0 que está bem organizada.

E você, conhece ou já utiliza alguma das soluções que eu citei acima? Tem alguma sugestão que considera melhor? Ficou com alguma dúvida sobre o assunto? Então deixe o seu comentário para contribuir com a nossa discussão e não deixe de acompanhar os meus próximos posts sobre esse e outros temas!

Algoritmos nas redes sociais: entenda as mudanças do Facebook e Instagram

fevereiro 5, 2019 in Blog, Empreendedorismo, Home office, marketing

As redes sociais são os principais canais de comunicação da atualidade e saber utilizá-las é indispensável para obter sucesso em qualquer negócio.

A pesquisa Content Trends, realizada em 2018 com agências de marketing digital e internautas de todo o Brasil, não me deixa mentir: os posts nesse tipo de mídia são os mais utilizados entre os usuários para consumir conteúdo!

Quando o assunto são pesquisas específicas para encontrar informações, as plataformas sociais foram destacadas por 85,4% dos respondentes, ficando atrás apenas das buscas no Google, que tiveram 86,7% dos votos.   

Ao se deparar com esses dados, é possível ter uma noção sobre o grande volume de informações que circulam nas redes!

Nesse cenário, para que a experiência dos usuários não se tornasse muito difusa e esparsa entre milhares de posts, diversos algoritmos foram criados para definir qual tipo de conteúdo é apresentado para determinados perfis de pessoas.

Sabendo disso, a empresa que deseja se destacar nas mídias sociais precisa compreender o funcionamento dessas ferramentas de segmentação e determinar ações que tornem os seus posts realmente relevantes para os seus seguidores.

Considerando que o Facebook e o Instagram ainda são as redes de divulgação preferidas pelos negócios brasileiros, preparei algumas dicas e informações sobre os seus algoritmos, para que você saiba como dominar esses canais e gere novas oportunidades através deles!

Por que me preocupar com o algoritmo das redes sociais?

Para criar um canal de comunicação eficiente com os seus clientes e entregar um conteúdo que fidelize o seu público-alvo, o relacionamento que a sua marca estabelece nas redes sociais é fundamental.

Ao dominar as regras e instruções impostas pelas plataformas, que servem justamente para orientar o que é apresentado aos usuários, você será capaz de se aproximar das pessoas de maneira mais natural, conquistando novos seguidores para a sua empresa.

Mais que compartilhar divulgações, enaltecer o seu negócio e expor as suas ideias, dominar os padrões do Facebook e do Instagram é a maneira mais poderosa de fidelizar e humanizar a sua marca!

A seguir, confira alguns cuidados básicos para adotar em suas postagens e campanhas patrocinadas nessas redes sociais.

Como obter uma boa performance no Facebook?

A última mudança relevante sofrida pelo algoritmo da rede de Mark Zuckemberg foi a maneira com que ela interpreta o conteúdo “de qualidade” entregue aos usuários.

Postagens sobre empresas agora ficam em segundo plano, dando espaço para grupos de interesse, fotos de família ou publicações de amigos, que são consideradas de maior relevância pela plataforma.

Se antes gerar um grande volume de conteúdo era um bom negócio para as marcas ocuparem o feed de notícias, agora é melhor apostar em textos e artes mais bem elaboradas, com foco na segmentação e no potencial de engajamento.

Mais que um conteúdo relevante, que o algoritmo percebe por meio das interações dos seguidores, a intenção é que os empreendedores também invistam mais no Facebook, por isso os posts patrocinados agora são o que garantem um melhor desempenho na rede!

Outras boas maneiras de ser considerado relevante é expandir os seus pontos de contato com os usuários, criando um bot para o Messenger ou até estimulando o acesso para novas páginas de conversão.

Criar campanhas periódicas para que as pessoas marquem amigos, compartilhem os posts ou até selecionem a página com a opção “ver primeiro” também são ótimas saídas para agregar destaque, mas lembre-se de que tudo deve ser feito com naturalidade e verdadeira relevância para quem recebe a mensagem!

Quais as peculiaridades do Instagram?

O Instagram possuí padrões bem mais elaborados e que sofrem mudanças mais recorrentes, mas o seu alto potencial de engajamento faz com que os esforços na plataforma sejam muito bem recompensados em sua empresa!

Em termos de alcance, o algoritmo faz com que apenas 10% dos seus seguidores recebam as suas postagens durante o primeiro dia em que ela foi feita. O restante dos usuários só receberá o conteúdo se o desempenho dele nesse primeiro momento for alto.

Para você ter uma noção sobre como o feedback do público é relevante para a rede, comentários que contenham apenas emojis ou um volume muito baixo de caracteres podem ser percebidos como spam e sequer constarem no engajamento.

Mesmo que as hashtags não tenham mais tanta relevância, é recomendada que sejam utilizadas até 5 delas, para que novos internautas interessados no seu segmento eventualmente encontrem aquilo o que você posta.

A grande protagonista é a ferramenta Stories, que é cada vez mais querida entre o grande público e pode agregar índices surpreendentes de crescimento e interação, principalmente se você for capaz de obter respostas dos seus seguidores em até uma hora depois das postagens.

Boas dicas para ser relevante no Instagram, além do investimento em anúncios periódicos pagos e o foco recorrente nas histórias, é criar chamadas para atenção que estimulem comentários ou marcações, assim como responder às interações de maneira recorrente e realizar testes para descobrir em quais horários as pessoas mais comentam em suas postagens.

Que cuidados tomar ao gerir minhas mídias sociais?

Agora que você já sabe quais são as principais características e padrões adotados pelas redes mais populares entre os negócios brasileiros, tenha em mente quais são os seus objetivos com elas e em quais estratégias você investirá para cumprir as suas metas! Contar uma agência de marketing digital, profissionais de social media ou em um time próprio para gerir as suas mídias sociais é fundamental, uma vez que o conteúdo precisa ser qualificado e possuir alto potencial de engajamento.

Não se engane: se você mesmo cuidar da sua página e ela começar a gerar bons resultados em um primeiro momento, trata-se de uma estratégia para que a sua empresa crie o hábito de utilizar determinada plataforma e depois impulsione conteúdo nela.

Após o período inicial, o alcance orgânico médio de uma página no Facebook é de apenas 1%, por isso é importante saber agregar qualidade em uma quantidade menor de posts e investir de forma precisa em impulsionamentos que segmentem e ampliem o público.

Por mais que o Instagram, por exemplo, ainda tenha um bom alcance natural, a tendência é que ele se torne cada vez menor com o tempo. Já o Linkedin, para citar outra rede importante que ainda não mencionei no artigo, valoriza fatores que demonstrem a qualidade e o engajamento do conteúdo, como curtidas em por grandes influencers da plataforma.

Não se esqueça de que esses sistemas estão em constante mutação e que cada plataforma adota o seu próprio padrão, por isso considere a minha abordagem como um ponto de partida para as suas estratégias e nunca siga receitas prontas!

Com tantos detalhes, pode parecer que os algoritmos representam um fator negativo nas redes, mas a verdade é que seria impossível para a sua marca se comunicar com as pessoas certas sem a presença deles.

Gostou de mais essa leva de dicas para a sua empresa? Você já utiliza alguma dessas técnicas? Tem alguma sugestão para completar o assunto? Então deixe o seu comentário e contribua com mais esse tema indispensável no cotidiano dos negócios modernos!

Sites ou aplicativos: o que é melhor para a minha empresa?

fevereiro 5, 2019 in Blog, Empreendedorismo, marketing, Web Design

 

Segundo dados do IBGE, 94,6% das pessoas com acesso à internet no Brasil afirmam utilizar algum dispositivo móvel para navegar em seu dia a dia, fato que demonstra como as oportunidades de negócios estão cada vez mais presentes nesses meios.

Nesse cenário, muitos empreendedores ainda nos indagam sobre o que valeria mais a pena para captar e fidelizar novos consumidores: sites com tecnologia responsiva ou aplicativos para Android e IOS.

A resposta varia muito de acordo com o perfil de cada marca e da respectiva operação por trás dela, por isso separei algumas dicas básicas para que você não erre na hora de fazer o seu investimento!

Como e quando investir em um site?

Manter um website em pleno funcionamento é indispensável para qualquer empresa que queira ter relevância nos dias atuais.

Por meio de uma página na web, você pode criar um verdadeiro cartão de visitas com todas as informações relevantes sobre o seu negócio, que podem ser acessadas pelo seu público a qualquer dia e a qualquer hora.

Mais que estabelecer um espaço para que as pessoas interessadas nas suas soluções possam lhe encontrar, um site ainda funciona como uma poderosa ferramenta comercial para a captação de leads, seja por meio de soluções como formulários ou até na manutenção de newsletters, a fim de identificar futuros clientes e novas oportunidades de crescimento!

Em média, um site é mais barato que um aplicativo. Além disso, seu uso não requer downloads e pode ser personalizado para diversas finalidades.

Apesar de todas essas vantagens, a necessidade de um browser pode limitar as funções de um bom website, sem falar que os esforços para acessar um domínio muitas vezes não condizem com a praticidade do meio mobile.

Tenha em mente que não adianta investir em um site sem tecnologia responsiva e que, mesmo assim, sua prioridade deve ser a apresentação da sua marca e a captação de novos consumidores!

Os aplicativos só entram em cena quando a necessidade é oferecer novos diferenciais e funcionalidades aos consumidores, conforme abordarei no próximo item.

Quando optar pelo desenvolvimento de um aplicativo?

Priorizar o desenvolvimento de um aplicativo próprio é mais comum em startups ou modelos de negócio em que o sistema é parte fundamental da operação, mas isso não quer dizer que outras empresas precisam deixar de apostar nesse tipo de diferencial.

Por mais que a necessidade de baixar e cadastrar determinadas aplicações possa ser trabalhosa para alguns perfis de usuários, a possibilidade de usar funções recorrentes faz todo o esforço valer a pena!

Como o smartphone é um dispositivo de uso pessoal, a experiência por meio de um aplicativo pode ser muito mais direcionada e personalizada, aproveitando-se também de recursos próprios dos aparelhos para tornar o uso ainda mais completo, seja nas possibilidades da tela sensível ao toque ou ainda nas funções de interface.

Entre os principais diferenciais, está a possibilidade de disponibilizar conteúdo acessível até mesmo off-line, disparar avisos sobre ofertas ou informações, utilizar a localização GPS para personalizar as experiências, oferecer diferenciais como jogos personalizados, possibilitar a compra de produtos ou serviços, a realização de pedidos, entre inúmeras outras funções.   

Mesmo que o custo seja mais elevado que o dos sites, soluções móveis atendem a situações mais específicas e atuam como uma poderosa ferramenta de fidelização dos clientes, alinhando-se ao que existe de mais moderno em termos de comportamento e tecnologia!

O que mais levar em consideração na hora de fazer a minha escolha?

Agora que você já sabe quais são as principais finalidades e benefícios de cada tipo de plataforma, basta realizar uma análise minuciosa sobre o perfil do seu negócio e alinhá-lo aos objetivos que serão buscados com o seu site ou aplicativo.

Imagine que você é o dono de um restaurante, mas o grande foco da sua operação é o conforto do ambiente e o padrão de atendimento no local. Nesse caso, o mais recomendado seria um site em que os seus clientes possam conferir os seus diferenciais, consultar fotos, ler informações e até conferir algumas promoções!

Já se o foco das suas atividades for a entrega de refeições, um bom aplicativo pode ser a melhor escolha, pois o uso recorrente justifica a necessidade de download, as funções tornam-se mais práticas e novas funcionalidades podem ser exploradas, como o fechamento de pedidos ou até a geolocalização das entregas.

Como os dois meios possuem vantagens distintas, procure também complementá-los quando o seu posicionamento na web já for robusto, investindo parte dos seus esforços em cada tipo de plataforma.

O grande segredo é entender as necessidades da sua empresa e adequá-las ao melhor que a tecnologia pode lhe oferecer!

Deixe o seu comentário e tire as suas dúvidas! Estou ansioso para discutirmos sobre o tema.

Como achar o freelancer certo para o seu projeto

novembro 14, 2018 in Blog, Empreendedorismo, emprego, Freelancer, Home office

Então você já leu os nossos posts anteriores e percebeu que contratar um freelancer como parceiro do seu projeto é uma ótima pedida, mas agora está em dúvida sobre como achar a pessoa certa.

Não tema, basta manter algumas coisas em mente e saber onde procurar para ter uma experiência legal e enriquecedora. Estamos aqui para ajudar.

Especialização e comprometimento

Se for a primeira vez que você está buscando por um freelancer, você pode se sentir tentado a dar uma grande importância ao fator preço. Cuidado. Embora esse seja um ponto que não podemos ignorar, ele pode acabar desviando o seu foco do que realmente importa.

A sua prioridade deve ser encontrar um profissional especializado e alinhado com o seu projeto. Caso seja uma pessoa comprometida, atenciosa e que respeite prazos, melhor ainda. Isso vai poupar tempo e, sim, dinheiro ao final.

Um freelancer especializado significa segurança e menos estresse para você. O know-how que ele tem na área de interesse é exatamente aquilo que poderá agregar ainda mais valor ao seu projeto e também possibilitará que você aprenda e cresça.

Boas referências e experiência

Após encontrar algumas opções de freelancers com a especialização certa, é hora de checar as referências e as experiências de trabalhos anteriores. Veja o que clientes antigos falam sobre o trabalho desses profissionais  e se eles são pessoas responsáveis, que respeitam prazos e atentam para as diretrizes dadas.

Mas também fique de olha em outra coisa: não basta que o profissional tenha boas referências. Ele precisa ser experiente dentro da área em que você tem interesse. Para isso, é vital que você cheque se ele já fez trabalhos semelhantes ao que você está solicitando e quais foram os resultados. Afinal, o cara pode ser incrível em uma determinada área, mas não ter a menor noção daquilo que você está pedindo.

Adaptabilidade e relacionamento

Mas conhecimento e experiência não são tudo. Você também precisa se certificar que o profissional selecionado seja uma pessoa com quem você goste de trabalhar, que tenha paciência com você, compreenda a importância do seu projeto e esteja disposto a ouvir e a se adaptar às suas necessidades.

Já pensou que inferno contratar um freelancer excelente tecnicamente, mas que não suporta ouvir os seus comentários ou que se recusa a receber suas críticas e apontamentos? Não interessa quão bom ele seja, a coisa não vai avançar.

Lembre-se que o projeto é seu e que o freelancer está vindo para somar. Ele é alguém que deve contribuir com sua expertise e tornar a sua vida mais fácil. Claro que em uma boa relação de serviço todos devem ficar satisfeitos, mas nunca esqueça que você é o contratante. Você deve se sentir seguro e confiante. Caso algum freelancer não transmita essa sensação, não tenha medo de dizer “não” e seguir em frente. Tem muita gente boa no mercado e uma delas com certeza encaixa perfeitamente com você.

A terceirização e os avanços da tecnologia vieram para facilitar a sua jornada. Nunca antes foi tão prático e fácil construir uma equipe de profissionais que trabalhem para transformar a sua ideia em realidade. Mas você precisa estar atento e achar as pessoas certas. Que bom que existe a CROWD, não é?

Conheça o site e encontre o freelancer para o seu projeto certo hoje mesmo.

Uma explicação fácil e direta do que é Inbound Marketing

novembro 6, 2018 in Blog, Empreendedorismo, marketing

E se ao invés de ficar correndo atrás de novos consumidores você pudesse fazer com que eles viessem até você?

E se ao invés de  anunciar para uma massa eclética, espalhada e desordenada você pudesse falar diretamente com as pessoas relevantes para o seu negócio?

E se ao invés de atrapalhar e agir de forma inconveniente, a sua propaganda pudesse ajudar e encantar quem a visse?

Essa modalidade de marketing já existe e é utilizada com grande sucesso por marcas que decidiram inovar. E, o melhor de tudo, é que ela não é reservada apenas para empresas com verbas astronômicas.

Reserve alguns minutos para a leitura de hoje e veja como o Inbound Marketing pode fazer uma grande diferença no futuro do seu negócio.

Permissão é Fundamental

As bases do Inbound Marketing foram apresentadas por Seth Godin em seu livro Marketing de Permissão. Nesta obra, Godin explicou como o marketing interruptivo perderia espaço para uma nova forma de comunicação que levaria em conta a segmentação e a experiência do espectador.

Veja bem, quando a internet se massificou, ela não trouxe apenas novos canais para se vender. Ela trouxe também uma nova forma de se relacionar com o público. Assim, este passou a escolher o que ler, assistir, ouvir e provar… e ainda a escolher a hora e o jeito de interagir com esse conteúdo que lhe interessava.

Por conta disso tudo, o público passou a ter muito menos paciência com qualquer tipo de propaganda que invadisse seu espaço ou interrompesse sua experiência. Por isso, ter a permissão para falar com ele passou a ser fundamental.

A questão, então, se tornou como conseguir essa permissão.

 

Conteúdo e relevância

Para início de conversa, é preciso fazer um esforço no sentido de compreender quem é o seu público e o que ele quer. Por sorte a internet também é uma ótima ferramenta para isso e, com as ferramentas certos, você será capaz de coletar todos os dados importantes para segmentar a sua comunicação e se tornar mais assertivo.

Então, de posse dessa informação, faça a sua marca ser útil para o seu target. Ajude pra valer. E faça isso muito antes de pensar em oferecer alguma coisa.

Como? Com um bom conteúdo.

Por conteúdo não queremos dizer que qualquer texto ou vídeo legalzinho serve. É necessário investir em conteúdo relevante, ou seja, naquilo que o seu público quer mesmo saber e perceber como informação valiosa.

Você deve entregar valor em forma de conteúdo. Você deve entregar valor uma, duas, três, dez vezes, até criar uma relação positiva com o seu público-alvo. Como resultado, no dia em que você finalmente for pedir algo em troca (normalmente na forma de uma venda), ele estará muito mais inclinado a atender.

Esse processo de entrega de valor por meio do conteúdo, dentro do Inbound Marketing, utiliza de algumas estratégias já consolidadas e que ajudam a alcançar o resultado mais eficiente possível. A principal delas é conhecida como funil.

Use o Funil

O Funil de Vendas é uma representação da jornada do consumidor ao longo de todo o seu contato com o conteúdo da marca, sendo que cada etapa (ou parte do funil) tem uma função específica.

Tudo começa no topo, onde o cliente em potencial busca por determinado assunto, fica sabendo sobre a marca e então consome seu conteúdo. Nenhuma tentativa de venda é realizada nesse momento, já que o objetivo é informar e educar.  

No meio do funil temos a etapa de consideração, quando o público já aprendeu mais sobre suas necessidades/desejos e começa a procurar uma forma de supri-los. É o momento certo para aprofundar e construir um relacionamento mais firme. Uma boa estratégia para isso é pedir dados de contato em troca de um conteúdo ainda melhor.

Já no fundo do funil está aquela parcela do público que, após tomar conhecimento e se aprofundar no assunto, entende que precisa tomar uma decisão de compra. É aqui que você deve usar o conteúdo de outra forma, mostrando que a sua empresa é a escolha certa. Como você já dedicou um bom tempo e esforço na construção de um relacionamento ao longo das etapas anteriores, já estará em vantagem.  

Mostre ao cliente em potencial que ele está em boas mãos, feche a venda e continue melhorando esse relacionamento.

 

Inbound é mais do que isso

Mas o Inbound não se resume a permissão, conteúdo e funil. É claro que todas essas são partes importantes dessa nova modalidade de marketing, mas ele vai muito além. Ele utiliza todas essas estratégias e as coloca em um planejamento maior, que ainda leva em conta as diferentes possibilidades da comunicação online para impactar as pessoas certas, na hora certa, do jeito certo.

O Inbound Marketing pode explorar redes sociais, SEO, blogs, landing pages, links patrocinados, e-mail marketing e muitos outros meios de alcance para falar com o seu público da melhor forma possível para vocês dois.

E quanto mais você abraçar o potencial do Inbound melhor conhecerá o seu público, analisará dados, produzirá conteúdo e lucrará. É um ciclo virtuoso que beneficia todas as partes. Com o tempo, será capaz até mesmo de automatizar boa parte do processo e conseguir uma economia até 60% maior quando comparada ao marketing convencional.

Achou bom demais para ser verdade? Gostou mas ainda tem medo das complexidades? Quer começar hoje mesmo mas não sabe por onde? Calma, a CROWD está cheia de profissionais capacitados que podem abrir as portas do Inbound Marketing pra você. Entre em contato e veja como podemos ajudar o seu negócio.

Porque freelancers são ótimos para pequenos negócios

outubro 16, 2018 in Blog, Empreendedorismo

Não é fácil ter um negócio no Brasil. Você provavelmente já sabe disso, ou não estaria aqui lendo esse texto. São muitas responsabilidades, um monte de impostos, burocracia infinita e nenhuma garantia de sucesso.

Para os pequenos negócios, a coisa toda é mais difícil ainda, já que minúsculas variáveis podem fazer a diferença no final do mês.

Por isso, para melhorar as chances e contornar as dificuldades, é que pequenos empreendedores têm procurado tanto o mercado freelancer. E, olha, devemos dizer que eles estão mais do que certos nessa escolha. Veja alguns motivos.

Diminuição de custos

Grandes negócios possuem reserva de capital, investidores e um corpo profissional experiente. Em razão disso, conseguem se manter mesmo quando tomam uma direção errada e perdem um pouco de dinheiro.

Com o pequeno empresário não funciona assim.

Salários, encargos, aluguel de espaço, água, luz, internet, telefone, café (muito café). Quando se coloca na ponta do lápis, é fácil enxergar a quantidade de investimento que deve ser feita a cada mês para se manter um negócio. É só errar a mão nos cálculos e pronto, sua empresa pode estar com os dias contados. Por isso, a contratação de um freelancer é uma opção mais segura.

Um profissional autônomo costuma trabalhar com seu próprio material, em sua própria casa ou escritório, evitando que o empreendedor tenha que arcar com essas despesas. A ausência dos tradicionais encargos trabalhistas ainda pode economizar um bom valor para o seu bolso.

Para quem está começando, isso faz toda a diferença do mundo.

Estrutura enxuta e ágil

Além de não precisar investir em uma estrutura física para o seu negócio, o mercado freelancer permite que você não seja obrigado a manter uma força de trabalho ociosa. Isto é, você pode pagar por profissionais apenas quando precisar deles de verdade, evitando o desperdício.

A liberdade em buscar parceiros também torna possível trabalhar com profissionais com alto grau de especialização, aumentando a assertividade em cada projeto. Você pode rapidamente montar uma equipe de especialistas de acordo com a sua necessidade e aí complementá-la ou reduzi-la. Incrível, não? E caso precise fazer alterações de rumo ou trocar profissionais, também será capaz de fazer isso de um jeito muito mais veloz.

O seu negócio pode ainda não ser grandão e poderoso como um mastodonte, mas, graças aos freelancers, você tem todas as condições de deixá-lo rápido e esguio, como uma pantera.

Horários flexíveis

Outra vantagem que talvez não chame tanta a atenção em um primeiro momento mas que é uma verdadeira arma secreta dos profissionais autônomos é a questão do horário flexível.

Dê um prazo razoável a um freelancer experiente e ele irá cumprir com o que se comprometeu, já que não está preso aos padrões de trabalho tradicionais. Alguns, por exemplo, preferem produzir em horários bem diferentes – como a madrugada – e isso torna possível executar projetos rapidamente.

Imagine que você passou o dia fazendo o planejamento de um serviço e só conseguiu passar tudo para o profissional que dará continuidade durante a noite. Se estivesse em uma empresa tradicional, isso significaria que o serviço só seria iniciado no dia seguinte. Com um freelancer a coisa não é assim, pois ele pode adorar trabalhar naquele horário em que você dorme. Pegou o espírito?

Nós sabemos que manter um pequeno negócio é difícil, mas também a realização de um sonho. O mercado freelancer tem muito a contribuir com quem decidiu encarar esse desafio e, por isso, a CROWD faz questão de trabalhar com os melhores profissionais. Desse jeito, todos saem ganhando.

Saiba mais no nosso blog.

Posso ter um emprego tradicional e também ser freelancer?

outubro 9, 2018 in Blog, emprego, Freelancer, Uncategorized

É verdade que muita gente acaba entrando no mundo dos freelas por causa da dificuldade em encontrar um emprego em meio a essa crise. Mas também há um número cada vez maior de pessoas já empregadas que deseja sair do mercado tradicional e abraçar uma vida mais independente. Só que aí entra aquele medo da mudança e o receio de se arrepender. O que fazer?

Comece aos poucos

Calma. Você não precisa jogar tudo pro alto e largar o seu emprego de anos para entrar no meio freelancer. É perfeitamente possível conciliar o seu trabalho tradicional com algumas atividades autônomas e aí, aos poucos, ver se esse caminho é mesmo pra você.

Defina alguns serviços que pode fazer fora do horário de expediente e procure pelo seu primeiro cliente. Não tente abraçar nada muito complexo nesse início. O objetivo não é ficar rico, mas complementar a sua renda e sentir a experiência. Conforme for ficando mais à vontade, aí sim pode alçar voos mais altos.

De qualquer forma, vale atentar para alguns conselhos: seja sempre muito honesto com todas as partes envolvidas, fique atento aos prazos e não misture um trabalho com o outro, ok?

Não se sobrecarregue

Uma jornada dupla de trabalho não é para qualquer um e nem mesmo é recomendada. Afinal, não é porque você possui algumas horas livres todos os dias após o expediente que você deve preenchê-las com mais trabalho. Esse é o caminho mais rápido para o estresse.

O bom planejamento será o seu melhor amigo nesse caso. Uma rotina organizada ajudará você a não perder tempo e a entender exatamente qual é o período aceitável para concluir cada tarefa. Estabeleça um horário exclusivo para os seus freelas e se atenha a ele. Na maior parte das vezes não vale a pena sacrificar suas noites de sono só pra não perder um projeto.

Avalie os prós e contras de cada lado

Caso perceba que a procura pelos seus serviços está aumentando, aí será a hora de diminuir os turnos no emprego tradicional ou até mesmo de fazer uma transição completa. Mas não sem refletir muito bem, antes.

Preste atenção em como se sente no emprego e na hora do freela. Qual traz mais prazer e satisfação pessoal? Esse fator, ainda mais do que o dinheiro, será um grande indicativo da direção a seguir.

Outra coisa que você deve avaliar é a questão da liberdade da carreira freelancer. Ela se encaixa com a sua personalidade ou você descobriu que necessita de horários e estruturas mais rígidas para funcionar? Lembre-se que com maior liberdade também vem muito mais responsabilidade.

É claro que o aspecto financeiro também é importante e deve ser levado em conta. Os projetos autônomos estão trazendo maiores rendimentos? Há espaço para crescimento?  Você consegue lidar com as inseguranças de não ter um salário fechado todo mês? Se sim, não há dúvidas que a vida freelancer é pra você.

Ser o dono da própria carreira e definir o seu futuro profissional é um dos grandes atrativos do estilo de vida freelancer. Se você sente que o seu caminho passa por aí, mas tem alguma insegurança em sair do mercado de trabalho tradicional, então comece devagar. Use a CROWD para conseguir o seu primeiro projeto e cresça com a gente.

Infográfico: 4 grandes dificuldades de quem vive de freelas e como superá-las.

outubro 3, 2018 in Blog, Education, Freelancer, Home office

A vida de quem é freelancer possui grandes atrativos e tem tudo a ver com esses novos tempos. Afinal, quem toma esse caminho pode escolher quando e onde trabalhar, desfruta de mais liberdade e consegue criar um maior número de relações comerciais e parcerias.

Mas não vá achando que tudo são flores porque, para prosperar nesse meio, você precisa aprender a lidar com algumas dificuldades. São desafios enfrentados por todo freelancer e que determinam quem realmente irá se destacar e quem vai ficar penando por um longo tempo.

Sendo assim, para ajudar você a deslanchar o mais rápido possível na carreira, separamos algumas das principais dificuldades que todo profissional autônomo enfrenta e damos algumas dicas de como passar por elas.

Definir o que fazer

Tem um monte de gente que, ao optar pelo estilo de vida freelancer, vai logo correndo atrás de qualquer trabalho, sem se importar com a área de atuação. É quase como se a pessoa tivesse sido possuída pelo McGyver.

Não há nada que impeça você de atuar em mais de uma especialidade, mas se isso for exagerado, pode passar uma imagem ruim. Afinal, quem faz de tudo, acaba não sendo bom em nada.

Solução:

O melhor é  identificar aquelas áreas de atuação em que você realmente é fera e pode fazer um trabalho notável. Seus clientes ficarão satisfeitos e a sua reputação vai aumentar.

Definir quanto cobrar

Também não caia no erro de achar que, se cobrar bem baratinho, vai conseguir um monte de serviço. Sim, é verdade que tem muita gente por aí que se preocupa demais com preço, mas um bom profissional entende o valor do seu trabalho. E é esse tipo o que mais se destaca.

Pode ser tentador aceitar trabalhar por um pagamento menor, só para não perder o freela. Mas tenha em mente que isso gera um efeito bola de neve no qual os clientes passam a enxergar cada vez menos valor no que você faz. Cuidado, ok?

Solução:

O que você deve fazer é cobrar de acordo com a sua experiência e qualidade. Faça uma pesquisa de quanto um profissional do seu nível cobra, tanto como autônomo quanto em empresas, e depois calcule quanto é o preço da hora trabalhada. Ajuste tudo isso de acordo com o seu caso específico e pronto, você terá uma ideia de quanto cobrar por hora. Aí é só analisar cada serviço contratado e definir quantas horas você irá demorar para executá-lo.

Disciplina

Quando você atua em uma empresa, você sabe exatamente quando trabalhar e onde. Você tem menos distrações e conta com colegas e gestores direcionando a sua produção. Na vida de freelancer a coisa é diferente.

Como você tem maior liberdade, pode acabar sendo vítima da procrastinação. Aí lá se vão horas preciosas, desperdiçadas nas redes sociais ou em frente à TV.

Solução:  

O segredo para escapar dessa armadilha está na disciplina. Crie uma rotina de trabalho, com horas bem estabelecidas para produção e descanso. Determine um espaço para o seu serviço. Tire o pijama e coloque uma roupa que estimule o estado de espírito certo. Existem métodos bastante interessantes e eficientes para aumentar a sua produtividade, como o Pomodoro e o Smart. Procure um pouco mais sobre eles e teste até encontrar o que se encaixa melhor na sua rotina.

Encontrar clientes

Talvez a maior preocupação de quem pensa em começar a vida de freelancer seja a falta de clientes. Afinal, sem clientes, não há serviço. Sem serviço, não há pagamento.

Solução:

A dica aqui é manter uma boa relação com parceiros com quem você já trabalhou. Procure-os e explique sobre essa nova etapa da sua vida. Caso eles estejam abertos, ofereça os seus serviços e peça para indicarem.

Invista na criação de uma marca pessoal e use o poder da internet para divulga-la. Crie um site ou um perfil em redes sociais. Mostre o que você faz. Aos poucos você começará a alcançar um público maior e a ficar mais conhecido dentro da sua área.

Hoje também existem plataformas que unem pessoas querendo contratar freelancers a profissionais oferecendo serviços, como a CROWD. Elas são ótimas para encontrar clientes e aprimorar suas habilidades, apenas fique de olho naquelas que não valorizam de verdade o seu trabalho.

Procure também se destacar mostrando o seu profissionalismo. Monte o seu portfólio, formalize-se, invista no seu nome, mantenha seus contatos aquecidos. Agora que você é o dono do seu futuro profissional, deve ter uma responsabilidade ainda maior. Mas saiba que tudo isso vale a pena. Ser freelancer é maravilhoso.

Como escolher o freelancer ideal

outubro 2, 2018 in Blog, emprego, Freelancer

É cada vez mais comum que empresas e agências contratem profissionais terceirizados para as mais diversas funções. Isso acontece porque, ao contar com freelancers, é possível economizar recursos e também alcançar resultados de maneira mais rápida.

Não é à toa que essa onda não para de crescer e talvez você esteja querendo surfar nela também. Mas atenção, embora o mundo freelancer realmente tenha muitas vantagens, é preciso tomar alguns cuidados para não se arrepender depois.

 

Saiba muito bem o que você procura

Antes de falar com qualquer profissional autônomo, tenha muito claro aquilo que você procura e quais são os seus objetivos. Saiba que o tempo de um freelancer é o seu ativo mais valioso e, se ele precisar de horas apenas para entender o seu projeto, é provável que ele não se interesse pela parceria.

Jobs claros, estruturados, com objetivos e prazos bem delimitados são o céu para os profissionais experientes. Eles olharão para o seu caso com muito mais carinho, serão mais rápidos na entrega e mais assertivos também.

Saiba o que quer para poupar tempo e dinheiro. Tanto pra você, quanto para o freelancer.

 

Analise o histórico, referências e também o comportamento

Ao conversar com um possível parceiro freelancer, pergunte sobre experiências anteriores, peça referencias e avalie o trabalho. Qualquer profissional sério terá um portfólio pronto para apresentar, por isso, não se sinta constrangido em pedir.

Analise tudo com calma e veja se o freelancer possui todos os requisitos que você julga necessários, mas não pare por aí. Observe também a forma como o profissional se comporta.Ele é organizado? Respondeu aos e-mails no prazo? Mostrou compreensão do assunto e interesse no serviço? Lembre-se que alguém que se atrasa para uma entrevista online provavelmente também atrasará a entrega do trabalho.

Um bom freelancer não deve apenas ser competente tecnicamente, mas também responsável, honesto e acessível.

 

Comece com um projeto-teste menor

Você falou com alguns candidatos e identificou um que se encaixa como uma luva no seu projeto? Excelente, mas nada de colocar a carroça na frente dos bois.

Antes de solicitar um job de grande complexidade e valor ao freelancer escolhido, tente iniciar a relação com um serviço mais simples e menos importante. Desse modo, caso algo dê errado, os seus danos serão mínimos e você ainda terá tempo de correr atrás de um substituto.

Durante esse período de teste, fique atento a alguns sinais que serão um claro indicativo de sucesso, como: boa compreensão do projeto, respeito aos prazos, transparência e relatórios constantes e de fácil compreensão. Claro que, se além disso tudo ainda houver simpatia, melhor ainda.

O mercado freelancer conta com profissionais extremamente capacitados e que adotaram esse estilo de vida por opção. Não há motivos para  insegurança, desde que você fique atento a alguns detalhes importantes.

A CROWD nasceu justamente para ajudar empresas e profissionais nessa nova era do trabalho. Acesse o site, leio o blog e entre em contato. Temos tudo o que você precisa para iniciar uma parceria de sucesso com os melhores freelancers do Brasil.

Como encarar a falha em um projeto freelance?

setembro 25, 2018 in Blog, Freelancer, Home office

Cometer um deslize no trabalho nunca é fácil. Bate aquela sensação de culpa e logo começamos a duvidar da nossa capacidade. Isso acontece com todo mundo, mas afeta os freelancers de um modo ainda mais forte, já que a nossa maior liberdade também aumenta a responsabilidade.

É preciso tomar cuidado para não cair em uma espiral de estresse e autopunição que podem afetar a produtividade e até mesmo causar uma depressão. Por isso, se você está se cobrando demais devido a algo que deu errado nos seus últimos serviços, mantenha a calma. Respire fundo. Esse texto é pra você.

Eu não me resumo a essa falha

Em primeiro lugar, jamais esqueça que você não é o seu trabalho e muito menos algum erro que tenha cometido, por maior que ele seja. O seu trabalho pode ser parte importante da sua vida, mas você é feito de muito mais que isso e uma eventual falha nesse setor não resume a sua trajetória profissional e, muito menos, a pessoal.

Você é uma pessoa como todas as outras, sujeita a erros e escorregões. Na verdade, é por meio desses erros que você vai aprender de forma mais poderosa. Não existe um freelancer bem-sucedido por aí que já não tenha quebrado a cara muitas vezes antes.

 

Qual foi a minha real responsabilidade?

Analise as etapas do seu processo de trabalho e identifique o que gerou a falha. Há algo que você poderia ter feito para evitá-la? Se não há, é provável que sua causa seja externa, o que indica que você deve melhorar a sua comunicação ou suas parcerias. Por outro lado, se há algo que você poderia ter feito, então assuma a sua parcela de responsabilidade e siga em frente.

Talvez seja uma boa oportunidade para uma conversa com o cliente. Talvez você ache melhor não cobrar pelo serviço. Isso varia muito de profissional para profissional, mas aproveite para mostrar o seu comprometimento. A sinceridade costuma ser muito bem recompensada e são grandes as chances de que o cliente compreenda que você ainda está evoluindo no seu ofício.

 

O que posso aprender com isso?

E falando em evolução, chegamos na melhor parte da falha: o aprendizado. Afinal de contas, nenhum professor é tão bom quanto o erro. O gostinho azedo do erro nos faz lembrar onde escorregamos e serve de alerta para não bobearmos daquela forma novamente.

Após analisar a sua parcela de responsabilidade na falha e entender o que gerou o problema, pense em formas de aprimorar todo o seu processo de trabalho. O que você pode fazer para evitar maus resultados? Quais indícios você percebeu que ocorrem quando algo não está indo bem?

Com o tempo e experiência, você irá desenvolver uma sistemática de trabalho cada vez mais à prova de falhas. Nessa hora você alcançará outro nível na sua carreira, mas, para chegar lá, você terá que errar muitas e muitas vezes. E tudo bem… isso acontece com todos nós.

 

As falhas podem ser uma grande fonte de estresse e ansiedade, mas a melhor maneira de lidar com elas é tentando enxergá-las por outra ótica: como acontecimentos que cedo ou tarde ocorrerão, mas que trarão consigo uma oportunidade de melhoria.

E se você sentir que não está bem e que precisa conversar, saiba que não está sozinho. Visite o site oficial do Setembro Amarelo ou entre em contato. Falar é sempre a melhor solução.

A CROWD apoia essa causa.

contact us