É verdade que muita gente acaba entrando no mundo dos freelas por causa da dificuldade em encontrar um emprego em meio a essa crise. Mas também há um número cada vez maior de pessoas já empregadas que deseja sair do mercado tradicional e abraçar uma vida mais independente. Só que aí entra aquele medo da mudança e o receio de se arrepender. O que fazer?

Comece aos poucos

Calma. Você não precisa jogar tudo pro alto e largar o seu emprego de anos para entrar no meio freelancer. É perfeitamente possível conciliar o seu trabalho tradicional com algumas atividades autônomas e aí, aos poucos, ver se esse caminho é mesmo pra você.

Defina alguns serviços que pode fazer fora do horário de expediente e procure pelo seu primeiro cliente. Não tente abraçar nada muito complexo nesse início. O objetivo não é ficar rico, mas complementar a sua renda e sentir a experiência. Conforme for ficando mais à vontade, aí sim pode alçar voos mais altos.

De qualquer forma, vale atentar para alguns conselhos: seja sempre muito honesto com todas as partes envolvidas, fique atento aos prazos e não misture um trabalho com o outro, ok?

Não se sobrecarregue

Uma jornada dupla de trabalho não é para qualquer um e nem mesmo é recomendada. Afinal, não é porque você possui algumas horas livres todos os dias após o expediente que você deve preenchê-las com mais trabalho. Esse é o caminho mais rápido para o estresse.

O bom planejamento será o seu melhor amigo nesse caso. Uma rotina organizada ajudará você a não perder tempo e a entender exatamente qual é o período aceitável para concluir cada tarefa. Estabeleça um horário exclusivo para os seus freelas e se atenha a ele. Na maior parte das vezes não vale a pena sacrificar suas noites de sono só pra não perder um projeto.

Avalie os prós e contras de cada lado

Caso perceba que a procura pelos seus serviços está aumentando, aí será a hora de diminuir os turnos no emprego tradicional ou até mesmo de fazer uma transição completa. Mas não sem refletir muito bem, antes.

Preste atenção em como se sente no emprego e na hora do freela. Qual traz mais prazer e satisfação pessoal? Esse fator, ainda mais do que o dinheiro, será um grande indicativo da direção a seguir.

Outra coisa que você deve avaliar é a questão da liberdade da carreira freelancer. Ela se encaixa com a sua personalidade ou você descobriu que necessita de horários e estruturas mais rígidas para funcionar? Lembre-se que com maior liberdade também vem muito mais responsabilidade.

É claro que o aspecto financeiro também é importante e deve ser levado em conta. Os projetos autônomos estão trazendo maiores rendimentos? Há espaço para crescimento?  Você consegue lidar com as inseguranças de não ter um salário fechado todo mês? Se sim, não há dúvidas que a vida freelancer é pra você.

Ser o dono da própria carreira e definir o seu futuro profissional é um dos grandes atrativos do estilo de vida freelancer. Se você sente que o seu caminho passa por aí, mas tem alguma insegurança em sair do mercado de trabalho tradicional, então comece devagar. Use a CROWD para conseguir o seu primeiro projeto e cresça com a gente.