Cometer um deslize no trabalho nunca é fácil. Bate aquela sensação de culpa e logo começamos a duvidar da nossa capacidade. Isso acontece com todo mundo, mas afeta os freelancers de um modo ainda mais forte, já que a nossa maior liberdade também aumenta a responsabilidade.

É preciso tomar cuidado para não cair em uma espiral de estresse e autopunição que podem afetar a produtividade e até mesmo causar uma depressão. Por isso, se você está se cobrando demais devido a algo que deu errado nos seus últimos serviços, mantenha a calma. Respire fundo. Esse texto é pra você.

Eu não me resumo a essa falha

Em primeiro lugar, jamais esqueça que você não é o seu trabalho e muito menos algum erro que tenha cometido, por maior que ele seja. O seu trabalho pode ser parte importante da sua vida, mas você é feito de muito mais que isso e uma eventual falha nesse setor não resume a sua trajetória profissional e, muito menos, a pessoal.

Você é uma pessoa como todas as outras, sujeita a erros e escorregões. Na verdade, é por meio desses erros que você vai aprender de forma mais poderosa. Não existe um freelancer bem-sucedido por aí que já não tenha quebrado a cara muitas vezes antes.

 

Qual foi a minha real responsabilidade?

Analise as etapas do seu processo de trabalho e identifique o que gerou a falha. Há algo que você poderia ter feito para evitá-la? Se não há, é provável que sua causa seja externa, o que indica que você deve melhorar a sua comunicação ou suas parcerias. Por outro lado, se há algo que você poderia ter feito, então assuma a sua parcela de responsabilidade e siga em frente.

Talvez seja uma boa oportunidade para uma conversa com o cliente. Talvez você ache melhor não cobrar pelo serviço. Isso varia muito de profissional para profissional, mas aproveite para mostrar o seu comprometimento. A sinceridade costuma ser muito bem recompensada e são grandes as chances de que o cliente compreenda que você ainda está evoluindo no seu ofício.

 

O que posso aprender com isso?

E falando em evolução, chegamos na melhor parte da falha: o aprendizado. Afinal de contas, nenhum professor é tão bom quanto o erro. O gostinho azedo do erro nos faz lembrar onde escorregamos e serve de alerta para não bobearmos daquela forma novamente.

Após analisar a sua parcela de responsabilidade na falha e entender o que gerou o problema, pense em formas de aprimorar todo o seu processo de trabalho. O que você pode fazer para evitar maus resultados? Quais indícios você percebeu que ocorrem quando algo não está indo bem?

Com o tempo e experiência, você irá desenvolver uma sistemática de trabalho cada vez mais à prova de falhas. Nessa hora você alcançará outro nível na sua carreira, mas, para chegar lá, você terá que errar muitas e muitas vezes. E tudo bem… isso acontece com todos nós.

 

As falhas podem ser uma grande fonte de estresse e ansiedade, mas a melhor maneira de lidar com elas é tentando enxergá-las por outra ótica: como acontecimentos que cedo ou tarde ocorrerão, mas que trarão consigo uma oportunidade de melhoria.

E se você sentir que não está bem e que precisa conversar, saiba que não está sozinho. Visite o site oficial do Setembro Amarelo ou entre em contato. Falar é sempre a melhor solução.

A CROWD apoia essa causa.