Levante a mão quem já pensou algo desse tipo? Pois é, por incrível que pareça, uma das causas que mais impedem profissionais de iniciarem uma carreira como autônomos é o medo de não serem bons o suficiente no que fazem.

E não ache que isso afeta apenas os mais novos e inexperientes. Tem muita gente aí que trabalha há anos em empresas ou grandes agências e que adoraria ser freelancer, mas não investe na ideia por achar que não possui o que é necessário.

Vamos tratar de acabar com essa crença limitante.

Desmistificando o freelancer

Pra início de conversa, entenda bem o que é e o que não é um freelancer de verdade. Ele não é um super-herói. Ele não é um membro da elite mundial dos profissionais Classe A (ok, alguns são). Ele não é o cara que já sabia de tudo antes de começar. Ele é uma pessoa que tem algumas habilidades e que, por meio delas, resolve problemas para outras pessoas mediante um pagamento.

Não é nada muito diferente de um trabalhador normal, a não ser pelo fato de que o freelancer precisa encontrar clientes e organizar a sua vida de modo a atender esses clientes da melhor maneira possível.

Temos por aí freelancers dos mais variados níveis e experiências. Alguns cobram mais alto e são grandes autoridades em suas áreas de atuação. Outros, os mais iniciantes, estão em busca de mais aprendizado e cobram menos. Se você se encaixa em algum lugar entre esses dois pontos, saiba que tem tudo o que precisa para iniciar nesse estilo de vida.

 

Uma questão de confiança

Antes de continuarmos, relaxe. Essa sensação de não ser bom o suficiente é perfeitamente comum e acontece com praticamente todo mundo. Tem até um nomezinho, sabia? Chama-se Síndrome do Impostor e ela impede muita gente de alcançar o sucesso.

No seu caso, você deve estar duvidando de si mesmo porque acredita que para ser um freelancer é necessário estar cheio de contatos, entender muito de algum assunto e já ter a agenda lotada. Só que não é bem assim. É verdade que muitos profissionais autônomos bem sucedidos já estão nesse patamar, mas eles não começaram desse jeito. Eles foram trabalhando e se aprimorando aos poucos.

O mundo está cheio de clientes procurando profissionais de variados níveis, inclusive iniciantes. E são esses clientes que você irá atrair nessa primeira etapa.

 

O que fazer para superar essa barreira

Comece procurando por serviços dentro da sua capacidade e aí se esforce na execução. Então utilize isso para criar um portfólio e mostrar para futuros clientes o tipo de trabalho que você faz. Se eles se interessarem, é porque você tem o necessário para eles nesse momento.

Ao mesmo tempo, não pare de se aprimorar. Faça cursos e workshops. Aprenda com colegas mais experientes. Aceite trabalhos em que poderá evoluir como profissional, então, enriqueça seu portfólio e aumente o seu preço.

Invista em um site no qual poderá falar mais sobre você e, principalmente, mostrar o seu material. Colha depoimentos de clientes e use como prova social. Dedique-se a criar a sua própria marca pessoal. Mas, acima de tudo, assimile a ideia de que, se você for honesto consigo mesmo e com seu cliente, não há nada a temer.

 

Uma boa forma de começar a procurar trabalhos é por meio de plataformas voltadas a freelancers, como a CROWD. Aqui sempre há procura por profissionais em todos os níveis de experiência e muitas oportunidades para crescer. Por isso, deixe o medo pra lá e dê o start no seu sonho hoje mesmo. Aí é só ter um pouquinho de paciência, porque você vai ficar melhor conforme o tempo passa. Eu prometo que vai.